Geral

Com custo de R$ 3,6 mi e dinheiro da Petrobrás, Aeroporto de Três Lagoas será retomado

A assinatura do convênio entre Mato Grosso do Sul e a Prefeitura de Três Lagoas foi realizada nesta sexta-feira (21), pelo governador, André Puccinelli (PMDB) e a prefeita, Márcia Moura (PMDB). O governo do Estado se comprometeu em repassar R$ 1 milhão para a construção do Aeroporto. A maior parcela será da Petrobras, com R$ 1,9 a ser investido.

Arquivo Publicado em 21/10/2011, às 11h28

None
1114244194.JPG

A assinatura do convênio entre Mato Grosso do Sul e a Prefeitura de Três Lagoas foi realizada nesta sexta-feira (21), pelo governador, André Puccinelli (PMDB) e a prefeita, Márcia Moura (PMDB). O governo do Estado se comprometeu em repassar R$ 1 milhão para a construção do Aeroporto. A maior parcela será da Petrobras, com R$ 1,9 a ser investido.


Foi assinado nesta sexta-feira (21) o convênio entre o Estado de Mato Grosso do Sul e a Prefeitura de Três Lagoas que garantirá a construção do receptivo do Aeroporto Municipal, Plínio Alarcon. A cerimônia, para a confirmação do repasse de R$ 1 milhão pelo governo do Estado, foi realizada no local aonde será edificado o terminal.


O restante do dinheiro a ser gasto será pago pela Petrobrás – R$ 1,9 mi e pela Prefeitura – R$ 790.257 mil.



O convênio de parceria foi assinado pelo governador André Puccinelli (PMDB) e pela prefeita, Márcia Moura (PMDB). O gerente da Termelétrica Luiz Carlos Prestes, Ricardo Feiten, esteve presente, representando a Petrobras.



Participaram da solenidade a vice-governadora Simone Tebet, a secretária de Estado do Desenvolvimento Agrário, da Produção, da Indústria e do Turismo (Seprotur), Teresa Cristina Correa Costa Dias, o deputado estadual Eduardo Rocha (PMDB), o presidente da Câmara Municipal, vereador Jurandir da Cunha (Nuna) Viana Júnior (PMDB), vereadores da base aliada à prefeita, todo o secretariado da Prefeitura, além de autoridades locais.



O projeto para a obra já está pronto e que precisava da assinatura deste convênio para o início da abertura do processo de licitação. O investimento previsto é de R$ 3.690.257,69. A estimativa para conclusão dos trabalhos é de seis meses.



O valor repassado pela Petrobras – R$ 1,9 milhão – faz parte das ações mitigatórias pela construção da Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados no Município.



Para o início das obras ainda será necessário afastar duas antenas próximas ao aeroporto. De acordo com Puccinelli, a pista será alongada em mais 400 metros caso os estudos determinarem essa necessidade, provocada por dois prédios nas proximidades.



“Assim que antena for retirada estaremos executando os procedimentos para que o aeroporto possa ser homologado. Não tem aviação comercial de grande porte caso não ocorra a homologação”, explicou.



Ainda segundo o governador, o processo de homologação consiste em atender todas as exigências da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). “A homologação significa preenchimento de prerrogativas como tamanho e largura da pista, cercamento para não entrar animais, balizamento noturno, sessão contra incêndio, estacionamento de aeronaves interno e externo, instrumentação e receptivo”, concluiu.



“Somos uma Cidade de 96 anos, que não pode mais esperar o atraso destas obras. A homologação do Aeroporto é um clamor da população e dos empresários que aqui chegam para investir em indústrias, comércio e outros empreendimentos”, disse a prefeita Márcia Moura.



Projeto



Segundo consta no projeto, a área total da edificação é de 1.237,92 m², compreendendo a seguinte estrutura: saguão, sete boxes, sala de espera e embarque com sanitários, sala de desembarque, área para lanchonete e café com cozinha, banheiros masculino e feminino, e área administrativa – englobando recepção, sala de administração e salas de controle e depósito, entre outras dependências.



Visita ao prédio da UPA



Após a assinatura do convênio, a comitiva com o governador seguiu para o prédio da futura Unidade de Pronto Atendimento (UPA), no Bairro Guanabara. A obra, construída com recursos do Governo Federal, está pronta e necessita de mobiliário e utensílios médico-hospitalares para entrar em funcionamento. Entretanto, não foi fechado nenhum compromisso sobre a aquisição desses materiais pelo governo do Estado.



Empreendimento imobiliário



Após essa visita, o governador e a comitiva assistiram à apresentação do projeto imobiliário da BC-Genera-Real States, formada por empresários sul-mato-grossenses e chilenos, com experiência de 30 anos no ramo imobiliário.



A empresa possui projetos imobiliários concluídos e outros em andamento no Chile, Dubai, Panamá, Jordânia, Egito e China. No Brasil, o grande e principal projeto da empresa será em Três Lagoas, no Bairro Alto da Boa Vista, que deverá estar totalmente concluído em cinco anos.



A área, na Rua Urias Ribeiro, para a execução desse projeto, já foi adquirida pela BS-Genera. O projeto, denominado “BelAldeia” prevê investimentos de R$ 300 milhões, incluindo áreas verdes e lazer aquático, área comercial (shopping) e área residencial.



Serão construídas 1.824 unidades residenciais, sendo 250 a 300 unidades por ano.


“A cidade teve um boom populacional nos últimos anos saindo de 70 mil habitantes, de acordo com o censo de 2007, para 102 mil atuais. A previsão é de que, em cinco anos, Três Lagoas possua 50 mil habitantes”, relatou o diretor do grupo, Cassiano Goulart.



“Vocês não vão se arrepender de investir aqui. Três Lagoas é hoje a capital da celulose. Temos em construção a maior fábrica de nitrogenados da América Latina”, discursou a vice-governadora, Simone Tebet.

Jornal Midiamax