Cigcoe usa arma de choque e balas de borracha para conter início de tumulto em presídio

Policiais da Cigcoe (Companhia Independente de Gerenciamento de Crises e Operações Especiais) precisaram usar balas de borracha e uma arma de choque conhecida como “teaser” para conter um início de tumulto na tarde desta segunda-feira (05) no Presídio de Segurança Máxima de Campo Grande. Os militares davam apoio aos agentes que realizaram uma revista de […]
| 06/12/2011
- 00:35
Cigcoe usa arma de choque e balas de borracha para conter início de tumulto em presídio

Policiais da Cigcoe (Companhia Independente de Gerenciamento de Crises e Operações Especiais) precisaram usar balas de borracha e uma arma de choque conhecida como “teaser” para conter um início de tumulto na tarde desta segunda-feira (05) no Presídio de Segurança Máxima de Campo Grande. Os militares davam apoio aos agentes que realizaram uma revista de rotina nas celas.

Conforme informações da Companhia, um dos detentos não obedeceu a ordem de sair da cela e ficar de cueca para verificar se não havia nenhum material ilícito com ele. Além disso, ele teria empurrado um dos policiais que estava na função de escudeiro. O PM teve que efetuar um disparo com munição de borracha contra sua perna para contê-lo.

Durante o procedimento de contenção, enquanto os agentes vistoriavam o interior das celas, um dos presos se alterou e passou a incentivar os demais detentos a se voltarem contra a equipe de choque. Ele aparentava estar embriagado, segundo a polícia.

Para evitar uma revolva dos demais internos, a Cigcoe usou uma arma de choque conhecida como “teaser” para imobilizar o homem. Quando caiu, ele bateu a cabeça no chão e teve ferimentos leves.

Ele foi levado para a enfermaria, onde foi medicado, e liberado em seguida.

Veja também

A página foi criada para dar mais transparência sobre publicidade eleitoral exibida por meio de todas as plataformas da empresa

Últimas notícias