Geral

Cidadania venceu e ninguém saiu perdendo, diz presidente da ABGLT sobre união homoafetiva

O presidente da Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT), Toni Reis, afirmou hoje (5) que, caso se confirme o reconhecimento de união entre casais do mesmo sexo pelo Supremo Tribunal Federal (STF), a decisão será uma vitória da cidadania. “Ninguém saiu perdendo”, disse. Até o momento, nove ministros se manifestaram favoráveis […]

Arquivo Publicado em 05/05/2011, às 22h32

None

O presidente da Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT), Toni Reis, afirmou hoje (5) que, caso se confirme o reconhecimento de união entre casais do mesmo sexo pelo Supremo Tribunal Federal (STF), a decisão será uma vitória da cidadania. “Ninguém saiu perdendo”, disse.


Até o momento, nove ministros se manifestaram favoráveis à legalidade da união homoafetiva estável. Falta apenas o voto do ministro Cezar Peluso.


Em entrevista à Agência Brasil, Toni admitiu que não esperava um placar final de unanimidade ou mesmo próximo disso. “O Supremo está julgando que não pode haver discriminação do amor e do afeto e isso é muito importante. Não esperávamos uma vitória tão grande”, destacou.


Para o presidente da ABGLT, a decisão vai garantir não apenas o princípio da igualdade e da dignidade humana para pessoas homossexuais, mas também segurança jurídica para casais em uniões homoafetivas estáveis.


“Infelizmente, a gente teve que recorrer ao STF para ter esse direito garantido. Esperamos que o Congresso Nacional escute o Supremo e aprove leis que beneficiem a nossa comunidade”, disse Toni. “Decisão de juiz a gente não discute, a gente acata e respeita”, completou.

Jornal Midiamax