Geral

Cheia: Embrapa estima prejuízos de R$ 190 milhões para fazendeiros

O Sindicato Rural de Corumbá divulgou nesta segunda-feira (21) o laudo da Embrapa Pantanal sobre os efeitos da cheia no Pantanal de Mato Grosso do Sul, estimando que as inundações e os impactos na produção pecuária vão causar um prejuízo de R$ 190 milhões aos fazendeiros. O laudo elaborado por três técnicos do órgão federal […]

Arquivo Publicado em 21/03/2011, às 22h41

None

O Sindicato Rural de Corumbá divulgou nesta segunda-feira (21) o laudo da Embrapa Pantanal sobre os efeitos da cheia no Pantanal de Mato Grosso do Sul, estimando que as inundações e os impactos na produção pecuária vão causar um prejuízo de R$ 190 milhões aos fazendeiros.


O laudo elaborado por três técnicos do órgão federal sediado em Corumbá contabiliza as perdas de todos os municípios pantaneiros – Corumbá, Miranda, Porto Murtinho, Aquidauana, Rio Verde e Coxim -, os quais ocupam os 88,5 mil quilômetros quadrados da planície sul-mato-grossense.


O maior impacto, segundo o documento, será com a perda significativa do peso dos animais, principalmente a vaca, resultado em prejuízo de R$ 139 milhões. Os números apresentados incluem ainda queda de natalidade e morte de bezerros, em torno de 20%, e redução do número de matrizes.


O presidente do Sindicato Rural de Corumbá, Raphael Domingos Kassar, considerou a cheia catastrófica e disse que o pantaneiro vive um cenário tráfico por conta da chegada repentina das águas, devido ao volume excessivo de chuvas. “Ainda está para chegar a água do Rio Paraguai”, alertou.


Ontem, o dirigente ruralista encaminhou ofício ao prefeito de Corumbá, Ruiter Cunha de Oliveira, solicitando que o município declare estado de emergência na área rural. Kassar disse que espera contar com o apoio do município, pois o reconhecimento da situação favorecerá captação de recursos e prorrogação de dívidas.

Jornal Midiamax