Geral

Cerca de 10 mil podem morrer no Haiti esse ano por causa da cólera

Alvo de uma epidemia de cólera desde o ano passado, o Haiti pode sofrer ainda mais em decorrência da doença. O prognóstico é da revista científica britânica The Lancet, que estima que quase 800 mil pessoas deverão ser afetadas pelo cólera ainda este ano no país e 11 mil poderão morrer. O cólera provocou 4.672 […]

Arquivo Publicado em 16/03/2011, às 16h25

None

Alvo de uma epidemia de cólera desde o ano passado, o Haiti pode sofrer ainda mais em decorrência da doença. O prognóstico é da revista científica britânica The Lancet, que estima que quase 800 mil pessoas deverão ser afetadas pelo cólera ainda este ano no país e 11 mil poderão morrer. O cólera provocou 4.672 mortes no Haiti em apenas cinco meses depois de a epidemia ter sido declarada no país.

A conclusão é baseada em um estudo de uma equipe norte-americana comandada por Jason Andrews, da Escola de Saúde Pública de Harvard. Segundo Andrews, as estimativas mundiais referentes à epidemia de cólera são baseadas no pressuposto de que 4% da população serão afetados pela doença. Mas, segundo ele, as estimativas são apenas uma “suposição”.

Os resultados, publicados na versão online da revista, consideram que uma combinação de mecanismos, como o acesso à água potável, à vacinação oral e ao uso de antibióticos, poderia salvar vidas. Os especialistas desenvolveram uma série de modelos matemáticos para prever diferentes resultados mediante a modificação de cada uma das três variáveis.

Esse método permitiu estimar que haverá 779 mil casos de cólera, dos quais 11 mil serão potencialmente mortais, no período de 1º de março a 30 de novembro de 2011.

A epidemia de cólera atingiu o Haiti no ano passado em meio ao processo de reconstrução do país, que foi devastado por um terremoto em 12 de janeiro de 2010. Para o processo de reconstrução do país e de tratamento dos doentes, o governo haitiano recorreu à comunidade internacional, inclusive ao Brasil, que participa das ações de cooperação.

Jornal Midiamax