Geral

Caso Rogerinho: Promotor aponta contradições em depoimentos de jornalista

O promotor de acusação, Fernando Martins Zaupa, apontou contradições em depoimentos de Agnaldo Ferreira Gonçalves, 62, que matou com um tiro o menino Rogerinho o Rogério Mendonça, de 2 anos no dia 18 de novembro de 2009 em Campo Grande. As contradições segundo o promotor é a de que Agnaldo falou em depoimento para a […]

Arquivo Publicado em 29/11/2011, às 14h17

None

O promotor de acusação, Fernando Martins Zaupa, apontou contradições em depoimentos de Agnaldo Ferreira Gonçalves, 62, que matou com um tiro o menino Rogerinho o Rogério Mendonça, de 2 anos no dia 18 de novembro de 2009 em Campo Grande.

As contradições segundo o promotor é a de que Agnaldo falou em depoimento para a polícia que a janela da caminhonete estava fechada. Hoje, o jornalista afirmou que a mesma estava um pouco aberta, onde viu uma mão com uma arma.

O acusado também contou que vidro fumê era muito escuro, fato esse, que segundo o promotor foi descartado pela perícia.

Outro ponto, é a de que Agnaldo não teria visto crianças no carro, porém teria visto o motorista e o passageiro na caminhonete. O advogado Valdir Custódio faz a defesa do acusado.

Jornal Midiamax