A ONU (Organização das Nações Unidas) lançou nesta sexta-feira (5), a campanha Mulheres e Direitos, composta por três filmes para a televisão sobre a importância da denúncia dos casos de violência contra mulheres. O objetivo é contribuir para a conscientização da população com vistas à redução da violência e para a promoção da equidade de gênero e da saúde da mulher.

O primeiro filme é dirigido aos homens, com a finalidade de lembrar o avanço das mulheres na sociedade brasileira e a necessidade da igualdade de gênero. Contracenam atores como Milton Gonçalves, Bernardo Mesquita e o dançarino Carlinhos de Jesus.

No segundo filme, quatro mulheres – uma negra, uma indígena, uma branca e outra de meia idade – buscam ajuda em uma delegacia especializada de atendimento à mulher.

No terceiro, duas mulheres do Norte do país lavam roupa em um rio e conversam sobre os primeiros sinais da violência, quando os homens começam a querer controlar as suas vidas.

De acordo com a coordenadora de Programas da ONU Mulheres, Júnia Puglia, essa campanha é essencial e fundamental para que todos respeitem os direitos das mulheres e haja uma diminuição da violência.

“Queremos ressaltar nesses três filmes a importância da mulher na sociedade, mostrando seus direitos e igualdade com os homens do nosso país, para que, com isso, haja uma diminuição da violência contra mulher”, disse.

Segundo Júnia, a mulher que for agredida deve acionar a Central de Atendimento à Mulher (Disque 180) para receber orientações e informações a respeito de como denunciar o agressor.

“É importante que a mulher saiba que denunciando o agressor estará mais segura e lutando por um Brasil melhor, violência é crime e devemos combater esse mal que vem assustando milhares de mulheres no nosso país”, afirmou.

Ainda de acordo com ela, essa campanha é por tempo indeterminado e conta com o apoio dos meios de comunicação para levar a mensagem dos direitos que a mulher tem e minimizar a violência da mulher.

A campanha é uma iniciativa do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids (Unaids), da Entidade das Nações Unidas para a Igualdade de Gênero e o Emponderamento das Mulheres (ONU Mulheres), do Fundo de População das Nações Unidas (Unfpa), do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e do Instituto Maria da Penha.