Geral

Campanha de vacinação contra paralisia infantil até esta semana

Mato Grosso do Sul prorroga até está semana a vacinação contra a paralisia infantil. Já foram imunizadas no Estado 62% das crianças menores de cinco anos, durante a primeira etapa da Campanha Nacional de Vacinação, realizada no último sábado (18). O percentual corresponde a 195.136 crianças. Na Capital, por exemplo, foi atingida 49% da meta […]

Arquivo Publicado em 23/06/2011, às 17h44

None

Mato Grosso do Sul prorroga até está semana a vacinação contra a paralisia infantil. Já foram imunizadas no Estado 62% das crianças menores de cinco anos, durante a primeira etapa da Campanha Nacional de Vacinação, realizada no último sábado (18). O percentual corresponde a 195.136 crianças.

Na Capital, por exemplo, foi atingida 49% da meta de imunizar 58 mil crianças. O objetivo em todo o Estado é vacinar 206.035 crianças. Segundo a SES, é ideal que os pais participem da ação e levem seus filhos, com a carteirinha até os postos de vacinação para que os pequenos possam receber as duas gotas que irá proteger da doença.

Somente nessa primeira etapa de campanha, foram distribuídas entre os 78 municípios um total de 288.460 doses contra poliomielite. A vacinação acontecerá em todos os postos de saúde entre fixos e móveis. Na campanha, a SES atua na distribuição das vacinas às Secretarias Municipais de Saúde e no monitoramento dos índices de imunização.

O último caso de poliomielite no Brasil foi registrado em 1989, na Paraíba. Em 1994, o país recebeu da Organização Mundial da Saúde (OMS) o certificado de eliminação da doença. Porém, é importante continuar vacinando porque a doença não foi erradicada em todo o mundo. Segundo OMS, 26 países ainda registram casos da doença e quatro deles são endêmicos, ou seja, possuem transmissão constante: Afeganistão, Índia, Nigéria e Paquistão.

Na maioria das vezes, a criança não morre quando é infectada, mas adquire sérias lesões que afetam o sistema nervoso, provocando paralisia.

A pólio é uma doença infectocontagiosa grave transmitida por meio do contato com um portador do vírus da doença ou então com fezes humanas. Os sintomas principais são: febre, mal-estar, dor-de-cabeça e em alguns casos incapacidade de mexer os membros.

Jornal Midiamax