Geral

Bruno Fratus deixa Cielo para trás e fatura ‘vitória mental’ nos 100m livre

Cesar Cielo saiu na frente, virou na frente e liderou os 100m livre até a marca de 75 metros, mas não levou. Em uma arrancada espetacular, Bruno Fratus, do Pinheiros, ultrapassou o nadador do Flamengo e conquistou de forma surpreendente a medalha de ouro da prova no Troféu Maria Lenk. Ele completou a prova em […]

Arquivo Publicado em 08/05/2011, às 00h42

None

Cesar Cielo saiu na frente, virou na frente e liderou os 100m livre até a marca de 75 metros, mas não levou. Em uma arrancada espetacular, Bruno Fratus, do Pinheiros, ultrapassou o nadador do Flamengo e conquistou de forma surpreendente a medalha de ouro da prova no Troféu Maria Lenk. Ele completou a prova em 48s72 e, de quebra, conquistou, por dois décimos o índice para o Mundial de Xangai (48s74 era o tempo necessário para classificação).


– Foi emocionante. Se não foi a melhor, foi uma das melhores provas da minha vida. Foi mental o negócio. Não sei de onde eu tirei energia para fazer isso – disse Fratus logo depois de sair da piscina, ainda meio que sem entender o que havia conseguido.


Cielo, que havia se classificado para a final em segundo lugar e largou na raia 5, terminou na segunda colocação, com 49s03. A medalha de bronze ficou para Marcos Macedo, do São Caetano, com 49s43. O tempo de Cielo neste sábado ficou muito longe do objetivo do campeão olímpico, que pretendia nadar os 100m livre em menos de 48s66, sua melhor marca em 2011 até agora.


– Nadar pesado não é fácil, não. Eu sabia que ia ser assim. Eu não raspei e não descansei. É o preço que estou pagando por estar mais pesado que os outros. Pesou como se fosse um treino. Esse final de prova foi bem doído – lamentou Cielo.


O campeão e recordista mundial da prova afirmou que este sábado não foi um dia bom para ele.


– É muito cedo essa final às 10h. Tem dias que a gente não acorda tão bem. Hoje foi um desses dias. Mas, bola para frente. Vamos ver o que tem de errado e tentar dar essa lapidada boa para o Mundial.


Aparentando estar bem chateado com o resultado final, o recordista mundial da prova dedicou poucas palavras quando indagado sobre o feito de Bruno Fratus.


– Bom para ele.


Primeira derrota desde 2008


Fazia tempo que Cesar Cielo não perdia uma prova individual disputada em solo brasileiro. A última vez que isso aconteceu foi no Troféu Maria Lenk de 2008. Na ocasião, Fernando Silva conquistou o ouro dos 100m livre, seguido por Nicolas Oliveira. Cielo, com 49s98, faturou apenas o bronze.


Cielo faz o melhor tempo na prova seguinte


Apesar de terminar a prova em segundo lugar, Cielo marcou o o melhor tempo das duas baterias da semifinal dos 50m borboleta (23s70), seguido de Glauber Silva (23s92) e Marcos Macedo (24s26). Cesar Cielo nadou abaixo do índice para o Mundial, que é de 23s35, mas já estava confirmado em Xangai desde o ano passado, quando conseguiu o tempo de 23s03 no Pan-Pacífico de natação. Nicholas Santos ficou com a prata (23s33), e também garantiu a vaga em Xangai.


Amanhã, Cielo disputa o ouro nos 50m borboleta e no revezamento 4×100 medley.

Jornal Midiamax