Bahia bate o Ceará, garante vaga na Sul-Americana e rebaixa o adversário

O Bahia fez da partida de despedida de Pituaçu em 2011 uma grande festa. Diante de 36.024 torcedores, os jogadores do Tricolor entraram em campo com a logomarca da Arena Fonte Nova estampada na camisa, em vez do símbolo da construtora que patrocina o clube. Tratava-se de uma homenagem aos trabalhadores da construção do novo […]
| 05/12/2011
- 01:06
Bahia bate o Ceará, garante vaga na Sul-Americana e rebaixa o adversário

O Bahia fez da partida de despedida de Pituaçu em 2011 uma grande festa. Diante de 36.024 torcedores, os jogadores do Tricolor entraram em campo com a logomarca da Arena Fonte Nova estampada na camisa, em vez do símbolo da construtora que patrocina o clube. Tratava-se de uma homenagem aos trabalhadores da construção do novo estádio, que em breve será a casa do time baiano.

Na arquibancada, não faltaram provocações ao maior rival, Vitória, que não conseguiu o acesso à Primeira Divisão. Milhares de pequenos aviões de papel foram atirados ao campo, em alusão a uma campanha da torcida do Rubro-Negro baiano, que dizia que a equipe voltaria para a Série A “de avião”.

Do outro lado, o Ceará mostrou ainda na escalação que estava disposto a partir para cima desde os primeiros minutos. O técnico Dimas Filgueiras escalou o Vozão com três atacantes: Marcelo Nicácio, Osvaldo e Felipe Azevedo. No entanto, a goleada do Cruzeiro sobre o Atlético-MG, aliada à iniciativa do Bahia, que começou na frente, desestabilizaram a equipe. Nervoso dentro de campo, o Ceará ainda tentou uma reação no segundo tempo, mas já era tarde demais.

Com o resultado de Pituaçu e o triunfo da Raposa sobre o Galo, o Bahia garantiu vaga na Sul-Americana, depois de 22 anos sem disputar uma competição continental. Já o Vozão, que lutou com dignidade, foi rebaixado para a Segunda Divisão.

Veja também

A página foi criada para dar mais transparência sobre publicidade eleitoral exibida por meio de todas as plataformas da empresa

Últimas notícias