Geral

Autor da ação que barrou shows no Parque de Exposições não comparece à audiência

O promotor de Justiça Alexandre Lima Raslan, autor da ação que motivou a determinação judicial que proíbe a realização de shows no Parque de Exposições Laucídio Coelho, em Campo Grande, é a principal ausência na audiência pública promovida nesta manhã no plenarinho da Câmara Municipal. Raslan mandou avisar que um compromisso seu impediu a ida dele […]

Arquivo Publicado em 10/02/2011, às 13h45

None

O promotor de Justiça Alexandre Lima Raslan, autor da ação que motivou a determinação judicial que proíbe a realização de shows no Parque de Exposições Laucídio Coelho, em Campo Grande, é a principal ausência na audiência pública promovida nesta manhã no plenarinho da Câmara Municipal.

Raslan mandou avisar que um compromisso seu impediu a ida dele ao evento. Nesta semana, 19 dos 21 dos vereadores votaram uma emenda que suspende a decisão judicial.

Com a aprovação da proposta, a Lei do Silêncio do município foi modificada e, com isso, ficam liberados os shows no Parque. A ideia só vale, contudo, a partir da sanção do prefeito da cidade, Nelsinho Trad, do PMDB.

A emenda foi aprovada após forte lobye dos promotores de evento do presidente da Acrissul (Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul), dona do Parque de Exposições.

Outras faltas

Poucos moradores do bairro Jockey Clube, situada aos arredores do Parque compareceram ao evento. O presidente da associação do bairro, Waldemir Popi, disse que ontem à noite visitou a feira livre do bairro e ouviu dos moradores, o seguinte: “fazer o quê lá se já aprovaram a emenda?”.

Popi, no entanto, enxerga um ponto favorável à emenda. É que pela proposta serão limitados os shows no Parque e deve ser fixado um horário para acabar.

Lei

Representantes da Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano) e da Segurança Pública, presentes na audiência disseram que o definido pela lei será cumprido.

Jornal Midiamax