Geral

“Audiência em MS foi uma das mais participativas”, diz deputado

Voto facultativo, reeleição, eleições unificadas e duração de mandato foram alguns dos temas debatidos na noite dessa quinta-feira (16) em Campo Grande, em Audiência Pública que aconteceu no plenário da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul. A Conferência Regional de Reforma Política, articulada pelo deputado federal Fábio Trad (PMDB), trouxe à Capital deputados federais […]

Arquivo Publicado em 17/06/2011, às 21h40

None

Voto facultativo, reeleição, eleições unificadas e duração de mandato foram alguns dos temas debatidos na noite dessa quinta-feira (16) em Campo Grande, em Audiência Pública que aconteceu no plenário da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul. A Conferência Regional de Reforma Política, articulada pelo deputado federal Fábio Trad (PMDB), trouxe à Capital deputados federais que fazem parte da Comissão Especial de Reforma Política da Câmara: Edinho Araújo (PMDB-SP), Alceu Moreira (PMDB-RS), Vicente Cândido (PT-SP), Danilo Forte (PMDB-CE), Bonifácio de Andrada (PSDB-MG) e Delegado Protógenes (PCdoB-SP). O senador Delcídio do Amaral (PT), deputados estaduais e vereadores de várias regiões do Estado também participaram dos debates.


O evento, que durou cerca de quatro horas, permitiu que mais de 40 pessoas entre representantes políticos e comunidade fizessem uso da palavra no plenário, que teve sua lotação máxima. Esta foi a 11ª conferência realizada no País sobre o tema. Para o deputado federal Fábio Trad (PMDB-MS), o encontro foi um momento extremamente importante para o parlamento brasileiro.


“Tivemos uma audiência conceitual e programática. A Conferência estabeleceu perspectivas e conseguiu respostas que a sociedade em geral não as tinha. Posso dizer que saio com a alma lavada e com a certeza de que hoje cumprimos com o nosso papel e demos a Mato Grosso do Sul aquilo que a sociedade esperava. Uma audiência a altura da importância do tema”, avaliou o parlamentar, que foi o artífice do encontro em Mato Grosso do Sul.


Fazendo coro às palavras de Fábio Trad, a presidente do Diretório Municipal do PMDB em Campo Grande, Carla Stephanini, ressaltou a importância de trazer o debate para a Capital. “Mato Grosso do Sul não poderia ficar fora dessa discussão. Sem dúvida o encontro foi um dos melhores já realizados em todas as regiões do País. A afirmação é dos próprios deputados que fazem parte da Comissão Especial de Reforma Política da Câmara. Este êxito se deve, além do deputado Fábio, que foi aquele quem permitiu o encontro em Campo Grande, mas também, e principalmente, à toda a sociedade civil organizada de Mato Grosso do Sul que se fez presente e se manifestou”, ressaltou Carla, conclamando o envolvimento das mulheres na discussão sobre a Reforma Política.


“É fato que a indisposição das mulheres em se candidatarem está diretamente relacionada à desigualdade de oportunidades que elas têm no processo eleitoral. Com isso, não podemos perder de vista que as condições de disputa para as mulheres nos pleitos eleitorais não guardam conformidade com a possibilidade das candidaturas masculinas. Mas podemos reverter isso. E esta noite é uma boa oportunidade que temos para começarmos a dar nossa contribuição”, reforçou a presidente do diretório municipal do PMDB, que participou da abertura da Conferência Regional.


Reformulação do Sistema


Diversos temas foram abordados, entre eles, o voto facultativo, reeleição e mandato, candidato avulso, filiação partidária e suplência de senador. O primeiro vice-presidente da Comissão Especial da Câmara, deputado federal Edinho Araújo (PMDB-SP), ressalta que o financiamento público de campanha, o voto em lista e o fim das coligações são os assuntos de maior polêmica durantes as audiências. “Já realizamos onze audiências como esta em todo o país, e esses foram os assuntos mais discutidos”, afirmou.


Edinho Araújo defende a necessidade da reformulação do sistema político no Brasil. “A Reforma Política é necessária porque além de agilizar o processo eleitoral e permitir maior aproximação do eleitor com o eleito, dá mais representatividade popular dentro dos partidos e distancia a relação dos eleitos com o poder aquisitivo. A reforma deve ser votada ainda este ano, mas provavelmente terá validade apenas para 2014”, informou.


Neste contexto, Fábio Trad defende a criação de ferramentas capazes de diminuir o distanciamento entre o eleitor e o eleito, para que a população se faça representar por aquele que demonstra o melhor caráter e comprometimento para com o coletivo. “Não é possível que os eleitos sejam aqueles que têm melhor conta bancária. Em detrimento daqueles que têm melhor caráter. Nós temos que selecionar, qualificando cada vez mais os eleitos, para que eles representem as melhores aspirações, a melhor disposição para a vida pública, as melhores vocações para a atividade coletiva”, finalizou o deputado federal, agradecendo a participação dos parlamentares e de toda a sociedade civil organizada, que se fizeram presente e lotaram o plenário da Assembléia Legislativa.

Jornal Midiamax