Geral

Assessoria nega rumores sobre queda do secretário de segurança de MS, Jacini

O secretário estaria supostamente desgastado por episódios recentes como a publicação de resoluções que deixaram o Governo Estadual mal com a PM e depois com a Polícia Civil, quando revogados. A ação de policiais civis realizada para prender mais de 30 pessoas ligadas ao jogo do bicho teria colaborado para colocar o secretário na berlinda.

Arquivo Publicado em 17/03/2011, às 15h08

None
1579289312.jpg

O secretário estaria supostamente desgastado por episódios recentes como a publicação de resoluções que deixaram o Governo Estadual mal com a PM e depois com a Polícia Civil, quando revogados. A ação de policiais civis realizada para prender mais de 30 pessoas ligadas ao jogo do bicho teria colaborado para colocar o secretário na berlinda.

A Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) negou, pela assessoria de imprensa, rumores sobre a queda do titular na pasta, Wantuir Jacini. O secretário estaria supostamente desgastado por episódios recentes como a publicação de resoluções que deixaram o Governo Estadual mal com a PM e depois com a Polícia Civil, quando revogados.

Até uma ação de policiais civis realizada ontem (16) em Campo Grande para prender mais de 30 pessoas ligadas ao jogo do bicho na Capital de Mato Grosso do Sul teria colaborado para colocar o secretário na berlinda. A Sejusp, no entanto, negou que Jacini esteja desgastado e que possa ser afastado do cargo por conta de pressões ao Governo de André Puccinelli.

As resoluções publicadas no mês passado engessavam o trabalho do serviço de inteligência da Polícia Militar, mas acabaram republicadas. Após a reação negativa na PM, Jacini teve de voltar atrás e criou um boletim de ocorrência unificado com informações de ocorrências da Polícia Militar e Polícia Civil, além de manter o trabalho da PM2 como estava.

Jogo do bicho

Como não houve nenhuma operação prévia nas detenções realizadas na tarde de ontem, e os envolvidos com o jogo do bicho trabalham continuamente na cidade sem problemas, a ação dos policiais civil foi interpretada como uma represália por insatisfação nas negociações sindicais com o governo do Estado.

O delegado da Deops, Silvano Mota, disse que desconhecia se a ação teria sido orquestrada pelo Sinpol (Sindicato dos Policiais Civis de MS). “Eles estão fazendo o trabalho deles dentro da legalidade, cumprindo o dever”, resumiu.

O “descontrole” sobre os agentes da Polícia Civil teria, supostamente, causado mais desgaste ao trabalho da Sejusp. Na Deops (Delegacia Especializada de Ordem Política e Social), alguns donos de bancas do jogo do bicho chegaram a indicar um deputado estadual como o “chefão” do jogo do bicho, mas se calaram após advertidos por um senhor identificado apenas como “Doutor Mauro”.

Jornal Midiamax