Lixo hospitalar foi flagrado no lixão do município sul-mato-grossense e prefeito demitiu funcionária de hospital. Mesmo assim, acusou denúncia de ‘montagem’ e reclama de ter que gastar com destinação correta do material biotóxico.

Após denúncias de que lixo hospitalar estava sendo depositado junto ao lixo comum em Novo Horizonte do Sul, a 368 quilômetros de Campo Grande, o prefeito da cidade, Marcílio Álvaro Benedito anunciou a demissão de uma funcionária e o afastamento do diretor do Hospital Municipal, administrado por uma associação beneficente.

As denúncias foram veiculadas pelo site de notícias Ivinotícias, e mostram crianças que frequantam o lixão revirando material hospitalar que seria, segundo as reportagens, depositadas no local sem qualquer tipo de controle ou cuidado.

O prefeito chegou a conceder entrevista a uma rádio comunitária dizendo que o registro da situação poderia ser uma armação. Ele afirmou que as crianças estariam ‘muito limpas’ no momento em que foram filmadas supostamente revirando o lixo.

Na entrevista, ele tentou explicar como é feita a coleta do lixo hospitalar e disse que há um incinerador no lixão para o material retirado do hospital. O prefeito ainda afirma que uma das crianças ouvidas teria admitido ter recebido R$ 15 para ‘encenar’ e disse que a denúncia poderia ser ‘armação da oposição’.

Marcílio disse que deve assinar um TAC – Termo de Ajustamento de Conduta com o Ministério Público Estadual para adequar o despejo do lixo hospitalar à legislação. “Agora vamos ter que tirar esse dinheiro de R$ 40 mil para levar o nosso lixo até Dourados”, reclamou.

Confira a entrevista do prefeito: