Mesmo sorridente por ter sido convidado para se tornar diretor de seleções da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) a partir de janeiro, Andrés Sanchez pareceu não ter gostado da informação de que o Palmeiras oferecerá bicho maior do que o habitual aos jogadores para vencer o Corinthians, em clássico válido pela rodada derradeira do Campeonato Brasileiro 2011.

Perguntado se também dobraria a premiação do elenco, o presidente corintiano ironizou o rival. “Não. O prêmio para os jogadores já está fechado desde o começo do ano, todos sabem o quanto ganhariam. O Tirone (Arnaldo Tirone, mandatário palmeirense) poderia evitar de gastar esse dinheiro todo e usar para outras coisas que o clube está precisando”.

Nessa semana, o Palmeiras admitiu que prometeu aos jogadores uma premiação acima do comum para motivá-los a vencer os rivais São Paulo e Corinthians, dois últimos compromissos na competição nacional, em que a equipe precisou fazer contas contra o rebaixamento à segunda divisão.

Vice-presidente de futebol, Roberto Frizzo chegou a declarar inclusive que o bicho pago em caso de vitória nos dois clássicos será do tamanho de um dinossauro e não de um coala.

Apesar de caçoar de Tirone, Andrés demonstra preocupação em deixar a definição do título para a última rodada. “É melhor jogar para ganhar no domingo, fazer de tudo para ganhar o título, porque senão vamos sofrer bastante no outro domingo”, concluiu o mandatário, ciente de que, para ser campeão antecipadamente, será necessário também contar com tropeço do Vasco da Gama diante do rival Fluminense.