Geral

Amigos de vigilante espancado dentro das Lojas Americanas protestam na Capital

Márcio Antonio de Souza entrou na loja com um ovo de Páscoa que havia comprado em outro comércio; seguranças o pegaram e surraram a vítima por acreditar que o chocolate havia sido roubado de lá

Arquivo Publicado em 14/05/2011, às 13h35

None
178635070.jpg

Márcio Antonio de Souza entrou na loja com um ovo de Páscoa que havia comprado em outro comércio; seguranças o pegaram e surraram a vítima por acreditar que o chocolate havia sido roubado de lá

Um grupo de movimentos sindicais, políticos, amigos e parentes do vigilante Márcio Antônio de Souza, 33, promove um manifesto contra a violência nesta manhã em frente as Lojas Americanas, na rua Dom Aquino, centro de Campo Grande. Souza foi duramente espancado por seguranças da loja no dia 23 passado.

“Não a todas as formas de violência”, é uma das faixas carregadas pelos protestantes. Souza não compareceu ao ato por problemas de saúde. Boletim de ocorrência policial diz que o vigilante entrou na loja com um ovo de Páscoa que havia comprado noutro comércio. Ocorre que seguranças do local levaram o vigilante para uma sala e o bateram por achar que ele teria roubado o chocolate.

Dilson Fernandes, irmão de Márcio de Souza, disse que episódio “feriu muito” a integridade física e moral da vítima. Ele disse ainda que o irmão aguarda na “fila do SUS” a vez para reconstituir o nariz, quebrado pela truculência dos seguranças. O caso é investigado pela polícia.

Ana Borba, do sindicato dos servidores do INSS, amiga de Souza, disse que o manifesto, além de pedir o fim da violência, é uma maneira de chamar a atenção dos diretores das Lojas Americanas que, segundo ela, até agora não ofereceu nenhuma ajuda ao vigilante.

Nenhum representante das Americanas se manifestou quanto ao protesto. O ato foi promovido pelo Seesvig (Sindicato dos Empregados em Empresas de Segurança e Vigilância de Transporte de Valores de Campo Grande e Região) e da bancada do PT na Assembleia Legislativa por meio do deputado estadual Pedro Kemp 

O caso

Enquanto caminhava nas Lojas Americanas, Márcio teria sido acusado de furtar um ovo de páscoa e foi brutalmente agredido. Ele foi para a Santa Casa de Campo Grande, onde recebeu atendimentos no setor de ortopedia, com o nariz fraturado. O rapaz conta que o chocolate que portava havia sido comprado em outro estabelecimento, mas garante que não teve tempo de explicar.

“Tinha comprado dois ovos de páscoa no Makro (outro estabelecimento na Capital) e marcado para entregar um deles na rua Cândido Mariano para minha filha, na frente da loja. Após dar o presente dela, resolvi atravessar a loja das Americanas para pegar minha moto, que tinha deixado na rua Dom Aquino. Foi quando fui pego pelo segurança”, contou Márcio à veículos de imprensa.

A radiografia confirmou uma fratura no nariz e o rosto do vigilante está cheio de hematomas. A família e amigos confirmam que os ovos de páscoa foram comprados por Márcio na empresa Makro e que possuem a nota fiscal da compra dos chocolates.

O vigilante Márcio fez exame de corpo de delito e registrou boletim de ocorrência na Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) do centro por lesão corporal dolosa.

Material editado às 14h50 minutos para acréscimo de informações

Jornal Midiamax