Eles terão de sair da praça porque ela será reformada; Semadur ainda conversa com os trabalhadores para definir para onde serão levados

Diante da expectativa de que nesta segunda-feira (29) começa a interdição da Praça Ary Coelho para a reforma, os ambulantes já deixaram o local. Há 36 anos trabalhando na Ary Coelho, o fotógrafo Luiz Jurandir Pereira, 71 anos, mudou a rota na manhã de hoje e montou a estrutura de trabalho na praça da Igreja Santo Antônio.

“Aqui o movimento é bem fraco, na Ary Coelho, com certeza, é bem melhor. Mas a gente tem de obedecer, depois que reformar a gente volta para lá”, disse. Ele não soube estimar o quanto rende o trabalho na Ary Coelho a cada mês. Roque Mendes, 72 anos, também fotógrafo, iniciou a semana em outro ‘ponto’, acompanhou o colega e montou a estrutura também na Praça da Igreja Santo Antônio, “na Ary Coelho passa mais gente, aqui acho que vai ser meio complicado”, disse ele, que trabalha na Ary Coelho há cinco anos.

Por outro lado, na Ary Coelho, poucos ambulantes chegaram cedo para o trabalho. O motivo segundo o ambulante Euclides Monteiro, 66 anos, seria um ‘boato’ de que se a fiscalização encontrasse ambulantes no local eles seriam retirados dali, a informação segundo, a Semadur (Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano) não procede.

A secretaria informou, por meio da assessoria de imprensa, que está em conversas com os ambulantes para definir qual o melhor local para acomodá-los durante o período de obras, que deve durar de nove a 12 meses. Entre as possibilidades estão a ‘Praça do Índio’, em frente ao Mercado Municipal, e a Praça da Igreja Santo Antônio. A prefeitura informou que a interdição da Ary Coelho será feita ainda nesta segunda-feira, mas o horário não foi definido.

Para Euclides Monteiro, o quadrilátero formado pelas Ruas 13 de maio, XV de Novembro, 14 de Julho e Avenida Afonso Pena é o melhor lugar para se trabalhar no centro da cidade. “Aqui é bom porque passa muita gente e a gente consegue vender os produtos”, disse, acrescentando que comercializa café, suco e água. Ele disse, ainda, que após a reforma a expectativa é de que os ambulantes possam trabalhar no interior da praça e não apenas do lado de fora.

Além dos ambulantes, os aposentados que costumam jogar dominó na praça também terão de encontrar outro local para os encontros. João Alexandre Ferreira, 78 anos, disse que encontra os amigos de 2ª a 6ª e que agora eles terão de ir para o Horto Florestal, “não tem problema a gente vai para lá. Vai ser até bom porque lá é bem arborizado”, disse. O projeto de revitalização da Praça Ary Coelho está orçado em R$ 2,1 milhões e prevê uma alteração no perfil do local, que passará a ter horário para abrir e para fechar. Por ali passam de 15 mil a 20 mil pessoas todos os dias.