O Brasil foi sufocado em grande parte do jogo, perdeu por 3 a 2 para a Alemanha no Mercedes-Benz Arenas, em Stuttgart, e segue sem uma vitória contra uma seleção de ponta nesta quarta-feira (10).

Schweinsteiger ,depois de pênalti polêmica cometido por Lúcio, e Götze abriram 2 a 0 para alemães no segundo tempo. Robinho encerrou jejum de mais de um ano e descontou de pênalti (não marcava desde a eliminação para a Holanda na Copa do Mundo de 2010), mas não evitou a terceira derrota brasileira com Mano Menezes. Schurrle ampliou o marcador em erro bizarro de André Santos, e Neymar encerrou o placar aos 46min.

As outras duas foram para outros gigantes do futebol mundial, França e Argentina. Contra a Holanda o País apenas empatou e no único jogo decisivo, contra o Paraguai, fracassou nos pênaltis de forma vergonhosa com quatro erros. A Seleção tem apenas seis vitórias em 13 jogos com Mano Menezes.

Nesta quarta, o Brasil já entrou em campo temendo o pior. Em pior forma física, na casa do adversário e contra um time já formado em consistente, Mano optou pela saída de Ganso e a entrada de Fernandinho para fechar mais o meio de campo. Não adiantou e Alemanha teve total controle da posse bola, pressionou em grande parte do jogo e sempre esteve acima do Brasil.

Não bastasse isso, a Seleção repetiu erros vistos na Copa América. No maior deles, a falta e poder de fogo no ataque. Em dois lances em que saiu na cara do gol, Alexandre Pato mostrou preciosismo parecido com o do torneio. No primeiro demorou a chutar. No segundo, tentou encobrir o goleiro. Nos dois lances esporádicos o jogo ainda estava 0 a 0.

Senhora do jogo, a Alemanha teve no meio-campo Götze e em Schweinsteiger os destaques. Neymar, que passou a noite febril pior conta de uma inflamação de garganta, apareceu pouco e levou perigo em oportunidades dispersas. Ganso entrou no segundo tempo quando o jogo já estava 2 a 0.

Para conseguir a recuperação, a Seleção ainda depende de confirmação de amistosos para os dias 2 e 6 de setembro. Depois enfrentará duas vezes a Argentina pela Copa Roca com jogadores que atuam só no País e enfrentará o México em outubro.