Geral

Advogados vão recorrer para que Manoel Nunes volte à prefeitura de Alcinópolis

“Manoel está muito abalado, se sente injustiçado pelo que aconteceu. Ele nega veementemente ser o mandante do crime”, diz o advogado.

Arquivo Publicado em 29/09/2011, às 18h07

None
647791098.jpg

“Manoel está muito abalado, se sente injustiçado pelo que aconteceu. Ele nega veementemente ser o mandante do crime”, diz o advogado.

Os advogados Luis Gustavo do Prado e Jeferson Rodrigues de Amorim, que conseguiram o habeas corpus para o prefeito afastado de Alcinópolis, Manoel Nunes da Silva junto ao STJ (Superior Tribunal de Justiça), pedirão a reintegração de cargo, para que o prefeito volte a assumir a administração municipal da cidade.



“Agora ele está com a família e não pretende falar com a imprensa”, disse o advogado Luís Gustavo. “Manoel está muito abalado, se sente injustiçado pelo que aconteceu. Ele nega veementemente ser o mandante do crime”, diz.



“O habeas corpus foi aprovado porque a instrução do processo policial tinha acabado e já não havia motivo para ele continuar preso”, alegou o advogado Jeferson Rodrigues. 



O processo corre em segredo de justiça e a dupla foi contratada para lidar com o habeas corpus, juntamente com o STJ. Quem defende o prefeito afastado na Justiça é o advogado Renê Siufi. 



O caso 



Preso desde o dia 20 de julho por ordem da Justiça, Manoel Nunes da Silva é suspeito de ser o mandante do assassinato do presidente da Câmara de Alcinópolis, Carlos Antônio Carneiro, no ano passado. Ele foi solto nesta quinta-feira (29).



Quando foi preso em Alcinópolis, o prefeito foi levado primeiro para cela provisória da Derf (Delegacia Especializada de Roubos e Furtos), depois para a Garras (Delegacia Especializada. Repressão a Roubo a Banco, Assaltos e Sequestros) e por último para a 3ª DP, no dia 24 de agosto, unidade que fica no bairro Carandá Bosque.



Jornal Midiamax