Geral

Venezuelanos vão às urnas para eleger nova Assemblei

Os venezuelanos estão indo hoje (26) às urnas para eleger os 165 deputados da Assembleia Nacional, para a legislatura 2011-2016, e os representantes do país no Parlamento Latinoamericano (Parlatino). Estão aptos a votar 17.575.975 eleitores numa disputa em que governo e oposição consideram que o futuro do país dependerá dos resultados desta eleição. De acordo […]

Arquivo Publicado em 26/09/2010, às 15h36

None

Os venezuelanos estão indo hoje (26) às urnas para eleger os 165 deputados da Assembleia Nacional, para a legislatura 2011-2016, e os representantes do país no Parlamento Latinoamericano (Parlatino). Estão aptos a votar 17.575.975 eleitores numa disputa em que governo e oposição consideram que o futuro do país dependerá dos resultados desta eleição.

De acordo com informações da BBC Brasil, apesar de ser um pleito legislativo, a presença do presidente Hugo Chávez na campanha tem levado analistas a ver a disputa como um plebiscito que irá ratificar ou exigir mudanças no projeto chavista de “socialismo do século 21”, expressão repetida por ele.

Nas últimas eleições, em 2005, a oposição decidiu retirar-se da disputa alegando falta de transparência por parte das autoridades. O boicote resultou em uma Assembleia dominada pelo partido de Chávez nos últimos cinco anos. A oposição só ganhou alguma representação, minoritária, porque alguns deputados mudaram de lado nesse período. A ampla maioria governista garantiu a aprovação com folga de projetos de lei propostos pelo Executivo.

Para esta eleição, no entanto, a oposição conseguiu, pela primeira vez, entrar em acordo para apresentar as candidaturas em um único bloco e pretende reduzir o domínio governista na Assembleia. Segundo a BBC Brasil, uma grande vitória para o bloco da oposição seria eleger 67 deputados, o suficiente para tirar do chavismo a maioria de dois terços necessária para aprovar os projetos de lei.

Em 11 anos e várias eleições, o governo Chávez foi derrotado apenas uma vez, em 2007, quando perdeu por uma pequena margem o referendo sobre uma ampla reforma constitucional. A crise econômica dos últimos dois anos, entretanto, e alguns problemas internos – relacionados ao fornecimento de energia elétrica e um episódio no qual alimentos importados terminaram apodrecendo – acabam sendo pontos negativos para a campanha de seu partido.

O Conselho Nacional Eleitoral (CNE) disse que os resultados da votação eletrônica poderão ser concluídos em até duas horas após seu encerramento. Porém, não há um horário preciso porque a legislação exige que as mesas de votação permaneçam abertas enquanto houver eleitores aguardando na fila. As votações se iniciaram às 6h da manhã. O voto não é obrigatório na Venezuela.

Jornal Midiamax