Geral

Valter Pereira se despede lamentando não ter disputado eleições para o Senado

Em discurso no Plenário nesta sexta-feira (17), o senador Valter Pereira (PMDB-MS) se disse vítima de manobras políticas dentro de seu partido, o que o impediu de concorrer ao Senado nas eleições de 2010. Valter Pereira, que deixará a Casa em 31 de janeiro – ele assumiu a vaga quando da morte do titular do […]

Arquivo Publicado em 17/12/2010, às 16h22

None

Em discurso no Plenário nesta sexta-feira (17), o senador Valter Pereira (PMDB-MS) se disse vítima de manobras políticas dentro de seu partido, o que o impediu de concorrer ao Senado nas eleições de 2010. Valter Pereira, que deixará a Casa em 31 de janeiro – ele assumiu a vaga quando da morte do titular do mandato, Ramez Tebet, em 2006 -, prestou contas de sua atuação parlamentar.


– Deixo o Senado com certa frustração por não ter conseguido aprovar alguns projetos relevantes. No entanto, sinto-me recompensado por ter conseguido introduzir, no ordenamento jurídico, outras normas igualmente importantes – avaliou.


Ao resgatar os principais pontos de sua atuação no Legislativo, Valter Pereira ressaltou seu trabalho como relator na reforma do Código de Processo Civil, classificando-a como “cereja do bolo” de seu mandato como senador.


Ele também lembrou que priorizou os interesses dos municípios brasileiros e do Mato Grosso do Sul, além de ter atuado de forma a buscar o desenvolvimento da região Centro-Oeste do país.


– Aproveitei minha condição de presidente interino da CCJ e retomei a discussão sobre a criação de uma agência para o desenvolvimento da região Centro-Oeste – assinalou.


O parlamentar também apontou como marcante o período em que foi presidente da Comissão de Agricultura e Reforma Agrária (CRA) e destacou suas propostas nas áreas ambiental, previdenciária e de combate às drogas, mas lamentou ter que deixar o cargo quando ainda há muitos projetos de sua autoria a serem aprovados.

Jornal Midiamax