Geral

TV para Copa puxa vendas de eletrodomésticos em maio, diz IBGE

A antecipação de compras de eletrodomésticos devido à Copa do Mundo contribuiu para que o volume de vendas de móveis e eletrodomésticos subisse 19,5% em maio em relação ao mesmo período do ano passado, segundo pesquisa sobre o comércio varejista divulgada nesta terça-feira (13) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).  A alta nas […]

Arquivo Publicado em 13/07/2010, às 14h45

None

A antecipação de compras de eletrodomésticos devido à Copa do Mundo contribuiu para que o volume de vendas de móveis e eletrodomésticos subisse 19,5% em maio em relação ao mesmo período do ano passado, segundo pesquisa sobre o comércio varejista divulgada nesta terça-feira (13) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).


 A alta nas vendas desse segmento corresponde a 30,2% do crescimento no volume comercializado pelo comércio varejista em maio deste ano em relação a 2009, que foi de 10,2%.


“Houve uma antecipação de compra de eletrodomésticos, principalmente TVs, para a Copa do Mundo, que aconteceu em junho. Além disso, o Dia das Mães e o contínuo aumento do crédito também contribuíram”, disse Reinaldo Pereira, economista da coordenação de serviços e comércio do IBGE.


O técnico do IBGE ressaltou ainda que o aumento dos salários e a queda do desemprego foram pontos importantes para a recuperação do varejo em maio.


Se na comparação com maio do ano passado a alta de 10,2% significou a aceleração do ritmo de crescimento do volume de vendas em relação ao avanço de 9,2% de abril, na comparação com o mês imediatamente anterior, houve alta de 1,4%, depois de uma queda de 3,1% em abril.


“No mês passado, dissemos que a queda das vendas na margem havia sido pontual, um ajuste depois de seis meses seguidos de alta. Agora, o varejo volta a crescer”, disse Pereira.


Entre abril e maio, seis das dez atividades do comércio varejista registraram aumento no volume de vendas, enquanto em abril apenas duas tinham apresentado resultado positivo. Na série com ajuste sazonal observa-se ainda o efeito do fim da desoneração do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). Móveis e eletrodomésticos apresentaram queda de 0,3% no volume de vendas, a terceira baixa seguida.


Apesar do fim do IPI, Pereira acredita que o resultado de maio indica que o varejo brasileiro recuperou um bom ritmo de crescimento.


“Certamente, quando há uma economia crescendo, espera-se que o comércio cresça”, destacou.

Jornal Midiamax