Geral

Três brasileiros estão entre os 250 maiores varejistas do mundo

Três marcas brasileiras estão entre os 250 maiores varejistas do mundo, segundo pesquisa feita pela Deloitte, em parceria com a revista “Stores”. Pão de Açúcar (92º), Casas Bahia (131º) e Lojas Americanas (200º) são as representantes do país no ranking, encabeçado pelo norte-americano Wal-Mart (veja a lista completa). Carrefour, da França, Metro, da Alemanha, e […]

Arquivo Publicado em 25/01/2010, às 21h55

None

Três marcas brasileiras estão entre os 250 maiores varejistas do mundo, segundo pesquisa feita pela Deloitte, em parceria com a revista “Stores”. Pão de Açúcar (92º), Casas Bahia (131º) e Lojas Americanas (200º) são as representantes do país no ranking, encabeçado pelo norte-americano Wal-Mart (veja a lista completa).

Carrefour, da França, Metro, da Alemanha, e Tesco, do Reino Unido, ocupam segundo, terceiro e quarto lugares, respectivamente. O relatório considera os dados publicados pelas empresas a respeito do ano fiscal de 2008 (incluindo anos fiscais encerrados até junho de 2009).

A pesquisa aponta ainda que os varejistas enfrentaram um ambiente extremamente desafiador enquanto os consumidores se tornaram mais cautelosos e reduziram seus gastos em meio à crise internacional.

As vendas e os lucros das 250 maiores redes do setor no ano fiscal de 2008 refletiram esse impacto, mostram os dados. Sessenta e um varejistas tiveram queda nas vendas no período, contra 44 em 2007. Além disso, as vendas reais do grupo subiram menos em 2008: 6,3%, ante 7,6% no ano anterior.

“Com o crescimento nas vendas reduzido pelos consumidores preocupados com a recessão, a lucratividade também caiu. A margem de lucro líquido passou de 3,7% em 2007 para 2,4% no ano fiscal de 2008, encerrando a tendência de contínua melhora no índice nos últimos anos”, diz a pesquisa.

As vendas combinadas dos 250 maiores varejistas no período ultrapassou US$ 3,8 trilhões, crescimento anual de 5,5%. De acordo com o texto, parte desse aumento reflete o crescimento das vendas nominais e parte foi influenciada pela mudança na composição da lista.

Além disso, as vendas do varejo ficaram um pouco mais concentradas nas mãos das dez maiores redes do mundo em 2008. Com vendas combinadas em cerca de US$ 1,2 trilhão, os líderes da lista foram responsáveis por 30,2% do total dos 250 maiores, contra um percentual de 29,6% um ano antes.

Jornal Midiamax