Geral

Sindicatos reclamam a procurador de espionagem em reuniões

Agentes do serviço reservado da Polícia Militar, a chamada PM2, estariam espionando reuniões de sindicatos e movimentos sociais. Pelo menos foi o que disseram representantes destas entidades hoje durante reunião com o procurador-chefe do MPF (Ministério Público Federal) , Blal Yassine Dalloul. “Agora mesmo tem dois infiltrados aqui na frente”, disse fazendo referência aos polici...

Arquivo Publicado em 24/09/2010, às 16h28

None

Agentes do serviço reservado da Polícia Militar, a chamada PM2, estariam espionando reuniões de sindicatos e movimentos sociais. Pelo menos foi o que disseram representantes destas entidades hoje durante reunião com o procurador-chefe do MPF (Ministério Público Federal) , Blal Yassine Dalloul. “Agora mesmo tem dois infiltrados aqui na frente”, disse fazendo referência aos policiais militares que estavam do lado de fora do prédio do MPF.


Em diálogo com a reportagem, os policiais militares disseram não ter recebido ordens de ninguém no governo estadual para fazer a segurança do MPF nesta manhã. Um deles explicou que quando viram a movimentação dos manifestantes, ali na frente, os policiais acharam por bem vigiar o local para garantir tranqüilidade.


Foi mencionado o temor de que os manifestantes fechassem a Avenida Afonso Pena onde fica localizado o prédio do MPF. Porém, o manifesto foi pacífico e transcorreu sem qualquer problema. Os sindicalistas entregaram a Blal Dalloul documento no qual pedem apuração de desvio de recursos federais no esquema relatado em gravação pelo primeiro-secretário da Assembleia Legislativa, deputado estadual Ary Rigo (PSDB).


Na quarta-fera, horas depois de o Midiamax, noticiar que sindicalistas denunciaram a presença de espiões em assembléia da Fetems, o Comando Geral da Polícia Militar contestou a informação. “Integrantes da Policia Militar não praticam atos de espionagem, expendendo seus esforços no sentido de realizar seu papel principal, qual seja, a realização do policiamento ostensivo preventivo e a manutenção da ordem pública”, disse em nota.


Leia na íntegra a nota emitida pelo comando da PM

Em matéria publicada no site Midiamax, às 16h09 de hoje, com o título: “ESPIÕES TENTAM MONITORAR REUNIÃO DE ENTIDADES QUE PROTESTAM CONTRA ESCÂNDALO”, imputando a participação de policiais militares infiltrados em reunião realizada, segundo a matéria, na tarde de hoje na Fetems, o Comando Geral da PMMS contesta veementemente tal acusação, informando que nenhum agente do serviço de inteligência ou qualquer outro policial militar estavam na referida reunião ou em qualquer outra de caráter político-associativo, acrescentando que integrantes da Policia Militar não praticam atos de espionagem, expendendo seus esforços no sentido de realizar seu papel principal, qual seja, a realização do policiamento ostensivo preventivo e a manutenção da ordem pública.


A matéria em tela não expressa a realidade dos fatos e lamentamos que esse órgão de imprensa não tenha buscado as informações necessárias que confirmassem tal noticia. Assim, nos colocamos a disposição e reafirmamos o compromisso da PMMS em trabalhar em prol de uma segurança pública cada vez melhor e que atenda os reais interesses do povo sul-mato-grossense.

Jornal Midiamax