Geral

Serra defende ampliação da permanência no Bolsa Família

Um dia após lançar promessa de um 13º pagamento para beneficiários do Bolsa Família, o candidato do PSDB à Presidência, José Serra, voltou nesta terça-feira (21) a fazer propostas relacionadas ao principal programa social do governo federal. Em entrevista após encontro com artistas em São Paulo, o tucano defendeu a manutenção do benefício para famílias […]

Arquivo Publicado em 21/09/2010, às 19h16

None

Um dia após lançar promessa de um 13º pagamento para beneficiários do Bolsa Família, o candidato do PSDB à Presidência, José Serra, voltou nesta terça-feira (21) a fazer propostas relacionadas ao principal programa social do governo federal.


Em entrevista após encontro com artistas em São Paulo, o tucano defendeu a manutenção do benefício para famílias que obtenham emprego.


“Deve ser mantida [Bolsa Família] durante algum tempo mesmo que as famílias consigam emprego. É um incentivo até para se empregarem, porque muitas vezes as pessoas tem medo de deixar de receber um benefício e ir para uma atividade em uma empresa, depois perder o emprego e ficar sem [o benefício]”, afirmou.


Contudo, segundo o Ministério do Desenvolvimento Social, o emprego não é critério de exclusão do programa. A pasta informou que o Bolsa Família atende famílias em situação de pobreza e extrema pobreza, caracterizadas por renda familiar per capita de até R$ 140.


A situação econômica das famílias, informou o ministério, é revisada de dois em dois anos. Caso ultrapassem a faixa de renda per capita de até R$ 140 nesse intervalo, as famílias só perdem direito ao benefício após o processo de revisão do cadastro.


Pagamento de 13ª parcela do benefício
Serra defendeu ainda a viabilidade de institutir um pagamento extra do benefício ao final do ano, proposta feita na segunda-feira (20) durante debate regional sobre temas relativos ao Nordeste.


Afirmou que o custo da iniciativa seria equivalente a 8% do orçamento do programa.


‘Problema não é de filho, é de sistema’, diz tucano sobre Casa Civil
O tucano comentou ainda entrevista da adversária Dilma Rousseff (PT) ao programa “Bom Dia Brasil”, da TV Globo, em que a candidata, em relação às suspeitas de irregularidades envolvendo familiares da ex-ministra da Casa Civil, Erenice Guerra, disse não ter culpa por atos de filhos dos outros.


“O problema que tem no governo federal não é de filho, é de sistema. O que se armou na Casa Civil, que é um ministério que na verdade está ao lado do presidente da República, foi um esquema de quadrilha, de corrupção, isso está claro. Todo mundo tem o direito de se defender, mas não é um problema de ter fiho ou não ter filho, a coisa vai muito mais longe”, disse Serra.


O candidato do PSDB também sugeriu, em discurso dirigido aos artistas, que a vantagem real de Dilma nas pesquisa seja menor do que apontam pesquisas de intenção de voto.

“Eu, com muita freqüência, encontro gente que fala: ‘onde está o voto da Dilma, porque eu não vejo’. Sem dúvida nenhuma tem, mas não deve ser tanto assim no dia da votação”, afirmou.



Jornal Midiamax