Geral

Rojões soltos por turistas teriam causado incêndio em várias propriedades

Nessa terça-feira (21), foram registrados pelo menos cinco incêndios na zona rural de Coxim, na região conhecida como “Mané Manco”. Isso, contabilizando os registros efetuados na Polícia Civil. O primeiro aconteceu por volta das 12h40, na chácara Beira Rio, de propriedade de José Aparecido da Silva, de 53 anos. Silva desconfia que o incêndio tenha […]

Arquivo Publicado em 22/09/2010, às 15h25

None

Nessa terça-feira (21), foram registrados pelo menos cinco incêndios na zona rural de Coxim, na região conhecida como “Mané Manco”. Isso, contabilizando os registros efetuados na Polícia Civil. O primeiro aconteceu por volta das 12h40, na chácara Beira Rio, de propriedade de José Aparecido da Silva, de 53 anos.


Silva desconfia que o incêndio tenha sido ocasionado por rojões que foram soltos por turistas que estavam hospedados no rancho “Quatorze Amigos”, as margens do rio Taquari. Com a vegetação seca, o fogo se alastrou rapidamente por diversas propriedades rurais da região.


Na chácara de Silva, a vegetação foi totalmente queimada, onde existiam várias árvores frutíferas. Como se não bastasse, uma casa de madeira foi consumida pelas chamas.


Às 13 horas, Luiz Piacentini, de 54 anos, também foi informado que o pasto que arrenda no Rancho do Rubinho, na mesma região, estava sendo queimado. Quando chegou ao arrendamento, o fogo já tinha consumido os 30 hectares, conforme Piacentini.


No local, o arrendatário criava 26 cabeças de gado, que só não morreram porque vizinhos abriram a cerca para os animais saírem. Piacentini também contabiliza o prejuízo da cerca, que foi totalmente destruída. O arrendatário foi informado que o incêndio foi causado por turistas que soltaram rojões.


Por volta das 13h30, Jader Gonçalves de Souza e Moacir Kuhn, também tiveram suas chácaras Souza e Do Martelo, respectivamente, invadida pelas chamas. Os prejuízos são incalculáveis, as chamas queimaram cercas, mata nativa, pasto, plantações, pomares e muita madeira.


Ambos também confirmaram que o incêndio começou depois que os turistas soltaram rojões. Às 15 horas, o proprietário da chácara Bom Jesus, Nivaldo Rufino Barbosa, de 46 anos, notou que sua propriedade havia sido consumida pelo fogo, que estava sem controle.


As chamas já haviam passado para a outra margem do rio, consumindo matas nativas do Taquari. Barbosa também confirmou a informação de que o incêndio foi causado por rojões soltados por turistas.

Jornal Midiamax