Geral

Reunião discute crédito para a agricultura familiar em MS

O coordenador nacional do Programa Mais Alimentos, Francisco Hercílio da Costa Matos está reunido em Campo Grande nesta terça-feira (26) com representantes do governo do Estado, movimentos sociais, Banco do Brasil e demais entidades ligadas ao setor agropecuário para apresentar informações sobre o Programa e fomentar a contratação no Estado, da linha de crédito oferecida […]

Arquivo Publicado em 26/01/2010, às 23h14

None

O coordenador nacional do Programa Mais Alimentos, Francisco Hercílio da Costa Matos está reunido em Campo Grande nesta terça-feira (26) com representantes do governo do Estado, movimentos sociais, Banco do Brasil e demais entidades ligadas ao setor agropecuário para apresentar informações sobre o Programa e fomentar a contratação no Estado, da linha de crédito oferecida pelo Mais Alimentos.

Criado pelo Ministério de Desenvolvimento Agrário (MDA) para estimular a modernização produtiva das unidades familiares agrícolas de todo o país, o Mais Alimentos é uma linha de crédito do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) que financia projetos de até R$ 100 mil, tem juros de 2% ao ano, até três anos de carência e prazo de pagamento do empréstimo de até dez anos.

Além de veículos para o transporte de carga e a comercialização da produção, os agricultores familiares podem, por meio da linha de crédito, financiar tratores, máquinas, implementos agrícolas, projetos para construção de armazéns e silos, cerca elétrica para isolamento do rebanho, melhoramento genético, correção de solo, formação de pomares e melhoria da logística administrativa das propriedades rurais, como a informatização dos estoques, entre outras ações.

De acordo com o diretor-presidente da Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural (Agraer), José Antônio Roldão, o Estado apresenta um número pequeno de contratações de crédito por meio do Mais Alimentos, se comparado a outros lugares. “Trata-se de um programa que oferece inúmeras vantagens ao agricultor familiar e por isso estamos lutando junto aos nossos parceiros para fazer com que ele funcione de maneira efetiva em Mato Grosso do Sul”, argumenta.

Na avaliação do coordenador nacional do Programa, Hercílio da Costa Matos, o grande problema verificado nos Estados com número baixo de contratos é a falta de informação. “Isso acarreta em uma desmobilização e é por esse motivo que estamos aqui hoje. Cabe ao MDA a articulação junto aos parceiros nos Estados para mudar esta situação”, destaca Hercílio.

Após a reunião com dirigentes e representantes das instituições ligadas à agricultura familiar, o coordenador do Mais Alimentos visitará nesta quarta-feira (27) propriedades familiares localizadas no município de Sidrolândia que já foram beneficiadas com equipamentos adquiridos através do Programa.

“Queremos superar as dificuldades encontradas na questão de crédito em Mato Grosso do Sul e temos a meta de chegar a pelo menos 600 contratações do Mais Alimentos na próxima safra”, conclui a secretária de Desenvolvimento Agrário, da Produção, da Indústria, do Comércio e do Turismo (Seprotur), Tereza Cristina Côrrea da Costa Dias.

Jornal Midiamax