Geral

Quadrilha põe fogo em carro após abandonar vítima de sequestro

Rapaz foi dominado por três homens e uma mulher; depois disso, ele foi mantido preso numa casa sob a vigilância de um membro do bando. A polícia não prendeu nenhum dos envolvidos no crime até agora

Arquivo Publicado em 16/07/2010, às 14h25

None

Rapaz foi dominado por três homens e uma mulher; depois disso, ele foi mantido preso numa casa sob a vigilância de um membro do bando. A polícia não prendeu nenhum dos envolvidos no crime até agora

Um rapaz de 22 anos foi sequestrado ontem à noite por quatro pessoas, entre as quais uma mulher, em frente a um bar próximo da Uniderp, faculdade particular, em Campo Grande. A vítima ficou sob o domínio da quadrilha por ao menos cinco horas. Depois de abandonado pelo bando, o carro do rapaz foi incendiado. A polícia ainda não localizou nenhum dos sequestradores.

Boletim registrado na polícia diz que P.C.T., foi dominado pelo grupo quando estacionava o carro, um Fiat Pálio, perto do Bar 21, próximo ao prédio da Uniderp, na rua Ceará. O rapaz foi forçado a ficar no banco traseiro. Um dos bandidos assumiu a direção do carro e seguiu para a região do Parque dos Poderes.

Os desconhecidos puseram um capuz na vítima, que foi deixada numa casa, sob a vigilância de um dos integrantes do grupo. O restante da quadrilha saiu com o veículo e retornou lá após cinco horas.

Ao voltarem para a casa, a quadrilha pôs o rapaz no carro e o abandonou na saída para Três Lagoas.

Lá, o rapaz contou com a ajuda de um caminhoneiro e retornou para a cidade, onde registrou o caso na polícia. Ele foi libertado na madrugada. Por volta das 7h30 minutos, os policiais acharam o Pálio, na região do Parque dos Poderes, devorado pelo fogo.

P.C. narrou à polícia que roubaram dele cartões de crédito e saúde, CNH (Carteira Nacional de Habilitação), dinheiro, cujo valor não foi divulgado, um relógio de pulso e outros documentos particulares. Ele não soube informar detalhes físicos dos membros da quadrilha.

A polícia acredita que o bando tenha praticado outros assaltados nas cinco horas que o rapaz foi feito refém.


Jornal Midiamax