Geral

PT admite que pivô do escândalo pediu filiação ao partido

O presidente do Diretório Estadual de São Paulo do Partido dos Trabalhadores, Edinho Silva, negou hoje que o contador Antonio Carlos Atella Ferreira, que pediu a violação dos dados fiscais da filha do presidenciável José Serra, Verônica Serra, seja filiado ao partido. Em nota oficial, o Diretório informou que Atella solicitou a filiação ao PT […]

Arquivo Publicado em 04/09/2010, às 17h03

None

O presidente do Diretório Estadual de São Paulo do Partido dos Trabalhadores, Edinho Silva, negou hoje que o contador Antonio Carlos Atella Ferreira, que pediu a violação dos dados fiscais da filha do presidenciável José Serra, Verônica Serra, seja filiado ao partido. Em nota oficial, o Diretório informou que Atella solicitou a filiação ao PT em 2003, mas que um erro de digitação no preenchimento levou a Justiça Eleitoral a indeferir o pedido.




Durante entrevista após participar de comício em Guarulhos, que contou com a participação do presidente Lula, Edinho admitiu, no entanto, que o cunhado de Atella, o oficial de Justiça João Primo, é um dos fundadores do PT em Mauá. Edinho acrescentou que ainda não conversou com João Primo, mas que pode chamá-lo para esclarecer a situação se for necessário. “Em nenhum momento encontramos registro desse senhor (Atella) participando dos quadros de militantes e filiados ao PT”, disse.



Na entrevista, Edinho afirmou que não sabe quem cometeu o erro de “digitação” durante o processo de solicitação de Atella e não soube, também, explicar a coincidência de datas entre a época da violação dos dados fiscais de Verônica, em setembro de 2009, e a decisão do TRE em retirar o pedido de filiação de Atella, em novembro de 2009. “Quem tem que explicar é o TRE”, disse. “Por diversas vezes, o Diretório Municipal (do PT) de Mauá fez contatos com esse senhor para que ele procurasse o Diretório para que seus dados fossem corrigidos”.



Veja abaixo, a íntegra da nota do Diretório:



Diante das notícias veiculadas por órgãos de imprensa acerca da filiação do Sr. ANTÔNIO CARLOS ATELLA FERREIRA ao Partido dos Trabalhadores (Diretório de Mauá – São Paulo), o DIRETÓRIO ESTADUAL DE SÃO PAULO DO PARTIDO DOS TRABALHADORES vem de público esclarecer que:



1. Foi apresentada ao Diretório Municipal do PT de Mauá, em outubro de 2003, proposta de filiação do Sr. ANTÔNIO CARLOS ATELLA FERREIRA;



2. Ocorre, porém, que ao ser escrita ou digitada a solicitação de filiação, o seu nome foi grafado de forma incorreta, encaminhando-se, em decorrência disso, aos órgãos competentes da Justiça Eleitoral, o pedido de registro de filiação em nome de ANTÕNIO CARLOS “ATELKA” FERREIRA;



3. Em decorrência de não existir compatibilidade entre o nome constante do pedido de registro de filiação e os documentos eleitorais firmados em nome de ANTÔNIO CARLOS ATELLA FERREIRA, a Justiça Eleitoral deixou de efetivar o registro da filiação;



4. Desde então, o Sr. ANTÔNIO CALOS ATELLA FERREIRA nunca procurou os Dirigentes do Diretório de Mauá para corrigir a situação da sua filiação junto a Justiça Eleitoral. Da mesma forma, ele nunca participou de qualquer órgão de direção partidária, nem de qualquer evento, seminário, reunião ou atividade promovida pelo Diretório, não tendo nunca cumprido quaisquer obrigações estatutárias estabelecidas para os nossos filiados, nem mesmo sequer comparecido para votar em quaisquer dos nossos processos eleitorais internos;



5. Assim, o Sr. ANTÔNIO CARLOS ATELLA FERREIRA, por não ter tomado qualquer iniciativa para regularizar o registro da sua filiação, acabou por ter o seu nome excluído, pela Justiça Eleitoral, do quadro de filiados do Partido dos Trabalhadores, não tendo ainda em momento algum, ao logo de todos estes anos, participado minimamente da nossa vida partidária. Desse modo, tanto perante a Justiça eleitoral como para o Partido dos Trabalhadores, ele não é considerado como integrante do nosso quadro de filiados.

Jornal Midiamax