Geral

PSDB do Ceará discute expulsão de tucanos pró-Dilma

O PSDB do Ceará começa discutir nesta terça-feira a punição para os prefeitos do partido que aderiram à campanha da presidenciável Dilma Rousseff (PT) no Estado. Como informou a coluna Poder Online, pelo menos 18 dos 55 prefeitos tucanos devem apoiar a petista em vez de José Serra (PSDB). “Há uma determinação do senador Tasso […]

Arquivo Publicado em 19/10/2010, às 23h08

None

O PSDB do Ceará começa discutir nesta terça-feira a punição para os prefeitos do partido que aderiram à campanha da presidenciável Dilma Rousseff (PT) no Estado. Como informou a coluna Poder Online, pelo menos 18 dos 55 prefeitos tucanos devem apoiar a petista em vez de José Serra (PSDB).


“Há uma determinação do senador Tasso Jereissati (PSDB-CE): quem não fizer campanha para o Serra tem de sair do partido”, afirmou o deputado Marcos Cals (PSDB), candidato derrotado ao governo do Ceará. “Eu fui muito prejudicado, mas resolvi zerar o jogo desde que no segundo turno houvesse apoio ao Serra”.


 Cals ficou em segundo lugar na disputa contra governador Cid Gomes (PSB), que acabou reeleito no primeiro turno. “No meu caso, a traição foi muito maior. Mais do que esses 18 prefeitos”, disse o tucano. Candidato à reeleição Senado, Tasso também foi derrotado pela dupla governista Eunicio Oliveira (PMDB) e José Pimentel (PT).


Na semana passada, ele prometeu expulsar do partido os prefeitos que não fizessem campanha para o Serra no segundo turno. O caso será analisado pelo diretório estadual do PSDB, cujo presidente é Márcio Pennaforte. Cals é o segundo vice-presidente do partido no Estado.

Jornal Midiamax