Geral

Proibido de se aproximar da mãe, jovem é detido

A Rotai (Rondas Ostensivas e Táticas do Interior) foi solicitada às 19h50 desta segunda-feira (25) através do Centro de Operações da Polícia Militar (COPM) a comparecer no bairro Vila Haro onde um rapaz estava descumprindo uma ordem judicial. Os policiais se deslocaram até a Rua Manoel de Oliveira Gomes e presenciaram o momento em que […]

Arquivo Publicado em 26/10/2010, às 12h45

None

A Rotai (Rondas Ostensivas e Táticas do Interior) foi solicitada às 19h50 desta segunda-feira (25) através do Centro de Operações da Polícia Militar (COPM) a comparecer no bairro Vila Haro onde um rapaz estava descumprindo uma ordem judicial.

Os policiais se deslocaram até a Rua Manoel de Oliveira Gomes e presenciaram o momento em que A.L.O.R de 25 anos e L.C.C.S de 18 anos tentaram empreender fuga pelos da residência ao avistarem a aproximação de viatura policial.

A dupla foi alcançada e abordada no fundo de uma casa vizinha onde reside a mãe de L.C.C.S.Durante uma vistoria no imóvel, foi localizado uma caixa pequena de cor preta contendo certa quantidade de maconha.

A mãe do rapaz, A.J.C contou aos policiais que o filho entrou sua casa sem autorização e que existe uma determinação judicial para que o rapaz não se aproxime dela, sendo obrigado a manter uma distância de 200 metros da mesma.

O jovem foi flagrado a menos de 40 metros da mãe, descumprindo assim a decisão da juíza de Direito da 1ª Vara Criminal e da Infância e Juventude, Rosângela Alves Lima Fávero.

Ambos foram conduzidos a Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) onde foram submetidos a uma revista pessoal sendo localizado na carteira de A.L.O.R R$ 465 e na cueca de L.C.C.S a quantia de R$ 440 em dinheiro. A dupla é conhecida nos meios policiais, e não soube informar como adquiriu o dinheiro e o entorpecente.

Ocorrências policiais envolvendo a família

Em agosto de 2005, a mãe do jovem L.C.C.S foi vítima de agressão praticada pelo amásio L.M.F. Na época, com 32 anos o acusado que trabalhava como pedreiro chegou por volta das 17 horas em sua residência no bairro Vila Haro e ao encontrar A.J.C dormindo, ele começou a agredi-la com uma régua de alumínio utilizada em construções civis.

A vítima foi socorrida por vizinhos ao Pronto Atendimento Básico (PAB) enquanto o pedreiro empreendeu em fuga. A.J.C deu entrada no posto de saúde com um corte na perna esquerda e na cabeça. Foram necessários 17 pontos nas lesões, sendo cinco na perna e 12 na cabeça.

Dois anos depois, cansada dos desentendimentos com o pedreiro, A.J.C esfaqueou o mesmo após uma discussão.

No dia em que aconteceu o fato, ela explicou aos policiais da Rotai (Rondas Ostensivas e Táticas do Interior) que atenderam a ocorrência, que o amásio teria saído com de casa com a quantia de R$ 500 e retornado apenas na manhã do dia seguinte totalmente embriagado, o que causou a discussão entre eles.

Depois da briga, A.J.C esfaqueou L.M.F no lado esquerdo do abdômen.

Este ano, a polícia de Três Lagoas também registrou ocorrência envolvendo a família de A.J.C, porém desta vez, a dona de casa passou de vítima a acusada.

Após ingerir bebidas alcoólicas, A.J.C ameaçou de morte a sua inquilina V.R.S de 25 anos.

De acordo com o boletim registrado na Delegacia de Polícia Civil, A.J.C chegou em casa embriagada e ameaçou sua inquilina dizendo; “Se você não sair da casa, eu vou tacar fogo com você dentro”.

A.J.C ainda pegou uma faca e entrou na casa onde passou a agredir a inquilina nos braços e no quadril. A Polícia Militar foi acionada e ao chegar ao local encontrou as duas ainda brigando.

Jornal Midiamax