Geral

PF assume investigações sobre vazamento na Receita Federal

A Polícia Federal assumiu nesta quinta-feira (2) o comando das investigações sobre o vazamento de dados sigilosos de integrantes do PSDB e de Verônica Serra, filha do candidato tucano à Presidência, José Serra. O anúncio foi feito pelo ministro da Justiça, Luiz Paulo Barreto. Segundo ele, foi instaurada oficialmente uma investigação criminal por determinação do […]

Arquivo Publicado em 03/09/2010, às 01h16

None

A Polícia Federal assumiu nesta quinta-feira (2) o comando das investigações sobre o vazamento de dados sigilosos de integrantes do PSDB e de Verônica Serra, filha do candidato tucano à Presidência, José Serra. O anúncio foi feito pelo ministro da Justiça, Luiz Paulo Barreto.


Segundo ele, foi instaurada oficialmente uma investigação criminal por determinação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A PF, até então, vinha “acompanhando” as investigações administrativas da Receita, de acordo com o ministro.


“O presidente determinou que a PF assuma a totalidade das investigações e faça relatos diários do andamento das apurações”, disse. Nesta tarde, a PF iniciou as operações com a apreensão de computadores da Receita Federal.


Segundo Barreto, Lula pediu uma apuração rigorosa dos fatos. “O presidente quer que assuma de maneira rápida, de maneira célere e puna todos que têm envolvimento nesse caso, seja quem for, doa a quem doer”, disse.


Em entrevista nesta noite, o ministro afirmou que a investigação será concentrada em Brasília. O processo administrativo no âmbito da Receita continua. De acordo com Barreto, a partir desta quinta, serão analisados os dados contidos nos computadores supostamente usados para quebras de sigilo fiscal. Além disso, a Polícia Federal vai organizar fazer depoimentos com pessoas envolvidas no vazamento e testemunhas


“Os próximos passam serão os procedimentos de polícia, oitiva de testemunhas, levantamento de dados, cruzamentos de informações e identificação de autor e materialidade de delitos”, informou o ministro.

Jornal Midiamax