Geral

Petrobras opõe programas de Dilma e Serra no horário eleitoral

O tema Petrobras voltou a colocar em oposição os programas de Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB) no horário eleitoral gratuito da televisão na tarde deste sábado (16). Dilma apontou a suposta intenção do tucano de privatizar a estatal. O programa de Serra atribuiu a alta de ações da Petrobras ao desempenho dele nas […]

Arquivo Publicado em 16/10/2010, às 19h33

None

O tema Petrobras voltou a colocar em oposição os programas de Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB) no horário eleitoral gratuito da televisão na tarde deste sábado (16).

Dilma apontou a suposta intenção do tucano de privatizar a estatal. O programa de Serra atribuiu a alta de ações da Petrobras ao desempenho dele nas pesquisas eleitorais.

“É um crime privatizar a Petrobras e o pré-sal”, declarou Dilma na parte inicial do programa. Segundo a petista, “eles [os tucanos] só pensam em vender o patrimônio público”.

“As ações da Petrobras se valorizaram com o avanço de Serra nas pesquisas”, disse um dos apresentadores do programa do tucano, mencionando reportagem de jornal.

O programa de Dilma também destacou a recuperação da indústria naval e contou a história de um brasileiro que, há dez anos, deixou o país para “tentar a sorte” no Japão. Em depoimento ao programa, ele disse que decidiu retornar porque o país melhorou e obteve um emprego na indústria naval. “Vou continuar expandindo a indústria naval”, declarou a presidenciável.

O programa de Serra apresentou “esclarecimentos” em relação a críticas de Dilma à educação em São Paulo, estado governado há 16 anos pelos tucanos. Segundo o programa, os indicadores de São Paulo mostram que o estado “tem a melhor rede de ensino público do Brasil”. Serra se apresentou como professor – “é a minha profissão” – e disse que a educação é “o grande desafio”do próximo presidente.

O candidato disse que irá assumir dois compromissos com a educação, caso eleito: “ouvir os educadores, trabalhar junto, como equipe” e “ajudar estados e municípios a cumprirem o pagamento do piso dos professores do ensino fundamental”.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a aparecer no programa de Dilma, para falar da “transformação” do Brasil durante o governo dele. “Hoje, quando olho para trás e vejo como o Brasil mudou, é até difícil explicar”, disse. “Tenho muito orgulho de ter começado esse trabalho”, declarou o presidente.

O programa de Dilma também mostrou a biografia e a trajetória política da candidata, que afirmou que a campanha do segundo turno é de “comparação”. Segundo ela, os governos tucanos resultaram em “privatização, desemprego e arrocho salarial”. Os do PT, de acordo com o programa, preservaram o patrimônio público, geraram emprego e fizeram o país avançar.

O tucano apareceu no programa visitando casas de pessoas que teriam beneficiadas por ações dele como ministro da Saúde e do Planejamento no governo Fernando Henrique Cardoso. Ele afirmou que trabalha para os pobres porque conhece a situação deles. “Conheço a vida das famílias mais pobres porque eu vivi. Eu sei onde o calo aperta”, disse.

O programa de Serra foi finalizado com imagens da mulher do candidato, a chilena Monica Serra, entregando uma imagem de Nossa Senhora Aparecida ao líder dos trabalhadores que ficaram retidos em uma mina durante 69 dias e foram resgatados nesta semana.

Jornal Midiamax