Geral

No primeiro semestre do ano, Corumbá exportou US$ 171 milhões

De janeiro e junho de 2010, as exportações feitas a partir de Corumbá registraram a quantia de 171 milhões de dólares. O minério de ferro continua sendo o principal produto da região, representando sozinho 70% deste total. No primeiro semestre do ano foram comercializados 2,2 milhões de toneladas de ferro. Este volume movimentou, segundo o […]

Arquivo Publicado em 14/07/2010, às 13h22

None

De janeiro e junho de 2010, as exportações feitas a partir de Corumbá registraram a quantia de 171 milhões de dólares. O minério de ferro continua sendo o principal produto da região, representando sozinho 70% deste total. No primeiro semestre do ano foram comercializados 2,2 milhões de toneladas de ferro. Este volume movimentou, segundo o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, 120 milhões de dólares. Comparando com o mesmo período de 2009, o aumento foi de 152%.

O minério de manganês, segundo principal produto da balança comercial do município, também acumulou crescimento vertiginoso nestes primeiros seis meses, tanto na quantidade como no valor praticado no mercado internacional. No ano passado as 32,9 mil toneladas exportadas renderam 2,7 milhões de dólares às mineradoras instaladas em Corumbá. Em 2010, foram vendidas 80,2 mil toneladas, que resultaram em 12 milhões de dólares, crescimento real de 333%.

Mas, o maior aumento neste semestre foi registrado pela cerveja de malte. Os 3,3 milhões de dólares acumulados entre janeiro e junho são 481% maior que os 569 mil dólares de 2009. O principal destino da bebida é a Bolívia, país que recebe 22% de tudo que sai da região pantaneira. Outros 72% têm como paradeiro a Argentina. Estados Unidos (2,7%) e Paraguai (2%) completam a lista de parceiros comerciais.

Por tudo isso, Corumbá foi o segundo principal exportador de Mato Grosso do Sul no primeiro semestre deste ano, ficando atrás apenas de Três Lagoas (US$ 321 milhões). Campo Grande, com US$ 144 milhões, foi a terceira do ranking estadual de exportações.

Dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) indicam ainda que a importação de gás natural boliviano fechou o semestre com crescimento de 7%. Só em junho, a compra do combustível movimentou 193 milhões de dólares, aumento de 36% em relação a maio. Foi a maior transação registrada durante os seis primeiros meses de 2010. Em todo o período, o montante foi de 914,6 milhões de dólares. Em 2009 haviam sido 854,5 milhões.


Fonte: Diarionline / Diário Corumbaense

Jornal Midiamax