Geral

Na Semana da Pátria, cerimônia da troca mensal da bandeira foge da rotina

Na Semana da Pátria o evento mensal da troca da bandeira do Brasil, que fica na Praça dos Três Poderes, em Brasília, fugiu da rotina. A cerimônia de hoje (5) teve a participação da Banda Marcial do Corpo de Fuzileiros Navais, do Rio de Janeiro, de alunos de escolas públicas e de um grupo de […]

Arquivo Publicado em 05/09/2010, às 14h06

None

Na Semana da Pátria o evento mensal da troca da bandeira do Brasil, que fica na Praça dos Três Poderes, em Brasília, fugiu da rotina. A cerimônia de hoje (5) teve a participação da Banda Marcial do Corpo de Fuzileiros Navais, do Rio de Janeiro, de alunos de escolas públicas e de um grupo de escoteiros.


Como o mastro, que tem 110 metros de altura, nunca pode ficar sem a bandeira no topo, a nova bandeira foi hasteada e só então a antiga foi arriada. Antes, se ouviu na Praça dos Três Poderes a salva de 21 tiros de canhão.


Mesmo com o forte sol e o tempo seco, que castiga Brasília nesse período, não faltaram expectadores para acompanhar o evento e cantar o Hino Nacional. Michele Murila levou o filho de 5 anos e sobrinha de 7 anos para o evento, por considerar necessário resgatar nas crianças o amor pela pátria. “Acho que o brasileiro não dá muito valor à pátria, não canta o Hino Nacional. A gente tem que educar os filhos para dar mais valor à pátria, precisamos resgatar isso”, diz.


Aluna do Centro de Ensino Fundamental 14 de Taguatinga, cidade satélite de Brasília, Luma Brum veio assistir a troca da bandeira pela primeira vez e disse que a bandeira e as cores verde e amarelo são as primeiras coisas de que se lembra quando ouve falar em comemoração da Independência do Brasil.


Com 12 anos e cursando a 6ª série, Luma avalia que as cerimônia cívicas não despertam o interesse dos jovens. “Estamos na adolescência e temos outros interesses. Acho que adulto se interessa mais”. Estudante do mesmo colégio e também aluna da 6ª, Camila Rodrigues conta que já assistiu o desfile do 7 de setembro quatro vezes e costuma fazer trabalhos e teatro na escola durante a Semana da Pátria.


Enquanto tocava, a banda dos Fuzileiros Navais formou o símbolo da âncora e a palavra “Brasil”. Entre os que observavam atentamente a movimentação da banda estava dona Dora Almeira. Acostumada a eventos militares desde criança, por ter tido um irmão militar e depois de casar com um militar, ela conta que se emociona com as cerimônias. “Gosto muito dessas comemorações e que emociona muito para quem acompanha a vida militar. E estar aqui é um meio de prestigiar os militares”.


Uma curiosidade sobre o mastro da bandeira é que sua altura foi definida para que a bandeira ficasse acima dos prédios das representações de cada poder – Executivo, Legislativo e Judiciário – que estão na Praça dos Três Poderes, sendo o prédio mais alto o do Congresso Nacional.


A troca da bandeira ocorre mensalmente, no primeiro domingo de cada mês, em um rodízio entre as Forças Armadas. Hoje, o comando foi da Marinha e o ministro da Defesa, Nelson Jobim, participou do evento.

Jornal Midiamax