Geral

MPE convocará autoridades citadas no vídeo de Rigo para depor

O procurador-geral de Justiça Paulo Alberto de Oliveira disse agora há pouco em entrevista ao programa Bom Dia MS da TV Morena que o vídeo no qual o deputado estadual e primeiro-secretário da Assembleia Legislativa, Ary Rigo (PSDB), detalha suposta partilha de dinheiro público entre membros dos três poderes, é “indício de prova de irregularidades […]

Arquivo Publicado em 24/09/2010, às 11h47

None

O procurador-geral de Justiça Paulo Alberto de Oliveira disse agora há pouco em entrevista ao programa Bom Dia MS da TV Morena que o vídeo no qual o deputado estadual e primeiro-secretário da Assembleia Legislativa, Ary Rigo (PSDB), detalha suposta partilha de dinheiro público entre membros dos três poderes, é “indício de prova de irregularidades e ilegalidades graves”. Segundo, ele todas as pessoas citadas no vídeo serão chamadas a depor no procedimento instaurado pelo órgão que terá o apoio do Gaeco (Grupo de Combate ao Crime Organizado).


O material foi gravado pelo ex-secretário de Governo da prefeitura, Eleandro Passaia – que atuou como espião na Operação Uragano, da Polícia Federal, e gravou Rigo sem que o deputado soubesse. Agora, com base nas imagens, o MPE houve a instauração de inquérito civil para investigar improbidade administrativa e irregularidades que tenham sido praticadas contra o erário público.


Conforme o procurador, o procedimento tem duração inicial de 180 dias, prazo que pode ser prorrogado. Se houver constatação de irregularidades, o órgão instalará ação civil pública para a devolução de dinheiro desviado.


Ontem, o procurador já havia anunciado em pronunciamento que o MPE (Ministério Público Estadual) abriu procedimento para apurar o caso. No vídeo, Rigo afirma que repassava R$ 300 mil ao ex-procurador-geral de Justiça, Miguel Vieira, para evitar punições ao prefeito afastado de Dourados, Ari Artuzi (sem partido). Vieira já é alvo de uma sindicância interna.


No vídeo, o deputado disse que além do ex-procurador, a Assembleia passava dinheiro ao governador André Puccinelli, do PMDB e ao Tribunal de Justiça. O ex-procurador negou ter recebido dinheiro em troca de favor e que vai processar o parlamentar.


O atual procurador também contestou as insinuações de Rigo de que sua gestão também poderia aceitar dinheiro de propina. “Ele foi irresponsável e leviano nestas insinuações. Agora, vai responder por danos morais”, disse. Oliveira também defendeu o MPE assegurando que o órgão é “composto por homens e mulheres comprometidos com os altos interesses da sociedade”.

Jornal Midiamax