Geral

MPE apura denúncia de suposto “aluguel” de espaço público para antena no Hospital Regional

O Ministério Público Estadual quer saber em quais condições uma antena de internet via rádio supostamente de uma empresa particular teria sido instalada na cobertura do Hospital Regional de Mato Grosso do Sul. A suspeita seria inclusive de que alguém pode estar recebendo aluguel pelo uso do espaço no prédio público. A denúncia recebida pela […]

Arquivo Publicado em 21/10/2010, às 16h00

None

O Ministério Público Estadual quer saber em quais condições uma antena de internet via rádio supostamente de uma empresa particular teria sido instalada na cobertura do Hospital Regional de Mato Grosso do Sul. A suspeita seria inclusive de que alguém pode estar recebendo aluguel pelo uso do espaço no prédio público.

A denúncia recebida pela promotora de justiça em substituição Renata Ruth Fernandes Goya Marinho relata que há uma antena instalada no prédio público e que esse espaço é “alugado” para a empresa Aero Internet, que oferece este serviço via rádio para o bairro Aero Rancho, nas imediações do Hospital.

O Ministério Público deu vinte dias úteis para o hospital informar sobre a questão. A denúncia é apurada pela investigação preliminar nº 050/2010. Na denúncia há a informação de que o sinal inclusive teria sido desligado por um dia, mas depois voltou a funcionar normalmente após a visita de representantes da empresa ao Hospital.

O diretor do Hospital, Ronaldo Perches Queiroz, garantiu “extra-oficialmente” que não há nenhuma irregularidade na antena instalada. “Eu descobri que existia essa antena e está tudo regularizado. Eu já enviei a resposta ao MPE e é preciso buscar a resposta oficial lá”, disse o diretor.


Sinal não cai


De acordo com informações de vendedores dos planos de internet, o sinal da região do Aero Rancho é transmitido por meio de uma antena “bem localizada”. Apesar de não admitir onde fica a antena da região, ela garante que o serviço não é compartilhado. “Nossa empresa tem uma antena única, não temos nada compartilhado então o sinal não cai”, explica tentando vender o produto.

Em contato com a gerente do Aero Telecom, a gerente Glaucia informou que o diretor da empresa, Marcelo Ximenes não estava no local para falar com a reportagem, mas garantiu que todo o processo de instalação das antenas e transmissão do sinal é legalizado e homologado pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações).

“Aqui é tudo legalizado, mas não posso passar informações de onde estão nossas antenas”, esquivou-se.

“Macular o nome”

Segundo Ronaldo Queiroz, a denúncia de um suposto aluguel do espaço seria uma “tentativa covarde de macular o nome do diretor, Mauro Marcusso”, garantiu. Marcusso foi “acusado” na denúncia enviada ao MPE de “receber aluguel” pelo espaço público.

Questionado sobre o nome da empresa que mantém a antena na cobertura do prédio ele disse que não sabia informar e que o equipamento já estava “faz muitos anos lá em cima”, explicou o médico. Segundo ele, a antena está lá faz bastante tempo. “Desde antes de eu entrar aqui como diretor”, garantiu.

O diretor informou que já enviou a resposta ao MPE, informação confirmada no órgão, porém ainda não houve retorno sobre o teor da resposta.


(Material editado às 9H43 de 22 de outubro de 2010 para correção de informações)
Jornal Midiamax