Geral

Movimentos sociais terão agenda unificada para eleições em 2010

Os movimentos sociais devem apresentar uma plataforma com suas principais propostas aos candidatos à Presidência da República, nas eleições deste ano. A informação foi dada hoje (25) por um dos coordenadores do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), João Pedro Stédile. Em entrevista à imprensa no Fórum Social Mundial (FSM), em Porto Alegre, Stédile […]

Arquivo Publicado em 25/01/2010, às 17h57

None

Os movimentos sociais devem apresentar uma plataforma com suas principais propostas aos candidatos à Presidência da República, nas eleições deste ano. A informação foi dada hoje (25) por um dos coordenadores do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), João Pedro Stédile.

Em entrevista à imprensa no Fórum Social Mundial (FSM), em Porto Alegre, Stédile explicou que os movimentos sociais não costumam fazer deliberações como os partidos políticos, no entanto, destacou que há uma “unidade” nas propostas. As centrais sindicais, citou, teriam se antecipado e decidido por uma plataforma conjunta, no último sábado (23).


“Nós, dos movimentos sociais, vamos tentar defender plataformas de pontos unitários que nos unifique e vamos apresentar essa plataforma para todos os candidatos.”


Stédile disse que “vai torcer para que Serra [José Serra, governador de São Paulo e provável candidato do PSDB à Presidência] não ganhe”, mas explicou que o MST não vai apoiar nenhum candidato. “Não, nem devemos [escolher um candidato]. Sempre votamos mais à esquerda, porém, não vamos tomar a posição do candidato a, b ou c.”

“Não precisamos baixar ordem para ninguém. Mas sinto que na militância há uma unidade de que todo mundo é contra a volta do Serra, por tudo o que ele representa, da volta do projeto do Fernando Henrique”, criticou.

Jornal Midiamax