Geral

Morte de menino provoca exoneração de comandante de batalhão da PM

O comandante do 9º Batalhão da Polícia Militar do Rio de Janeiro, coronel Fernando Príncipe, foi exonerado no final da tarde de hoje. Ele estava à frente da operação em que PMs entraram em confronto com supostos criminosos em Costa Barros, na zona norte da cidade. Durante o tiroteio, um menino de 11 anos morreu […]

Arquivo Publicado em 16/07/2010, às 23h18

None

O comandante do 9º Batalhão da Polícia Militar do Rio de Janeiro, coronel Fernando Príncipe, foi exonerado no final da tarde de hoje. Ele estava à frente da operação em que PMs entraram em confronto com supostos criminosos em Costa Barros, na zona norte da cidade. Durante o tiroteio, um menino de 11 anos morreu ao ser atingido por uma bala perdida dentro da sala de aula

O comandante-geral da PM, Mário Sérgio Duarte, determinou que “o caso seja investigado com celeridade”. Durante a operação em Costa Barros, seis homens morreram e quatro foram presos.

Em nota, a Secretaria Municipal de Educação disse que Wesley era aluno do quinto ano primário do Centro Integrado de Educação Pública (Ciep) Rubens Gomes, em Costa Barros. O menino foi levado ao Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes, onde morreu.

A morte de Wesley fez com que professores voltassem a reclamar da falta de segurança perto das escolas próximas a comunidades dominadas pelo tráfico. A diretora do Sindicato Estadual de Profissionais da Educação (Sepe), Edna Felix, disse que esse é um dos principais inimigos da educação. “Não é fatalidade. Isso é descaso do governo com as escolas.”, disse Edna. Segundo levantamento do Sepe, só no município do Rio cerca de 200 escolas estão em áreas de risco.

Jornal Midiamax