Geral

Mesmo distante, eleições 2014 já são foco de peemedebistas em Mato Grosso do Sul

Mesmo faltando um bom tempo para as eleições municipais de 2012 e mais ainda para 2014 o foco dos políticos do Estado já é o processo eleitoral para o sucessor do recém diplomado governador André Puccinelli. Durante a diplomação dos eleitos na última sexta-feira (10) apesar de ainda estarem recebendo o diploma que dá o […]

Arquivo Publicado em 13/12/2010, às 21h22

None

Mesmo faltando um bom tempo para as eleições municipais de 2012 e mais ainda para 2014 o foco dos políticos do Estado já é o processo eleitoral para o sucessor do recém diplomado governador André Puccinelli.

Durante a diplomação dos eleitos na última sexta-feira (10) apesar de ainda estarem recebendo o diploma que dá o direito para exercer o cargo eleitoral, muitos discutiam posicionamentos já para os próximos quatro anos.

O próximo embate é em Dourados, no próximo dia 6 de fevereiro, mas a disputa mais adiantada é para governador em 2014.

O prefeito da Capital, o peemedebista Nelson Trad Filho, é um dos prováveis nomes. Durante a diplomação ele foi previamente “aclamado” como “futuro governador do Estado”.

“Temos que considerar a vontade do povo e está nas mãos de Deus”, disse Nelsinho em entrevista ao Midiamax. O prefeito, no entanto não esconde que está sim propenso a se candidatar ao governo em 2014.

”Quero terminar bem meu mandato. Mas fiquei animado sim, afinal, eu fui lá compor a mesa, não levei torcida organizada”, disse ele sobre a situação que ocorreu durante a diplomação, quando ele teve o nome gritado pela platéia.

Governo ou Senado?

Outra pessoa assediada é a vice-governadora diplomada Simone Tebet que também foi chamada de “futura governadora” por algumas pessoas durante os eventos em que aparece.

Questionada sobre a possibilidade de concorrer ao cargo, Simone não titubeou e disse que a partir de 1º de janeiro, quando toma posse, já se começa a pensar o futuro político.

“Quando eu tomar posse quero trabalhar como vice-governadora e só ai vamos começar a discutir as hipóteses”, declarou ela sem fugir do assunto. Além do cargo executivo, Simone também é “ovacionada” como uma possível senadora da república, cargo que seu pai exercia.

“Eu tenho que trabalhar, daí vamos pensar no futuro político”, disse.

Jornal Midiamax