Geral

Marina Silva joga para eleitor decisão de legalizar aborto e maconha

A candidata do PV à Presidência, Marina Silva, aproveitou a sabatina feita pelo R7 e Record News para entregar nesta quinta-feira (15) ao eleitor a decisão sobre alguns dos temas polêmicos que dominam sua campanha. Mesmo contrária à legalização do aborto e da maconha, ela defendeu um plebiscito para que a população decida sobre os […]

Arquivo Publicado em 15/07/2010, às 22h51

None

A candidata do PV à Presidência, Marina Silva, aproveitou a sabatina feita pelo R7 e Record News para entregar nesta quinta-feira (15) ao eleitor a decisão sobre alguns dos temas polêmicos que dominam sua campanha. Mesmo contrária à legalização do aborto e da maconha, ela defendeu um plebiscito para que a população decida sobre os as duas polêmicas.

Marina afirmou que é favorável à união civil entre pessoas do mesmo sexo, apesar de ser contra o casamento entre homossexuais no religioso. Ela também garantiu que nunca ingeriu bebida alcoólica, fumou maconha ou tomou o Santo Daime, uma bebida feita de ervas.

Ao defender o plebiscito para avaliar a legalização do aborto e a descriminalização da maconha, Marina não escondeu sua opinião. Disse que a simples legalização do consumo das drogas não seria o melhor caminho para combater o narcotráfico e que o aborto envolve fatores “morais, filosóficos, éticos e religiosos” que ainda não teriam sido suficientemente debatidos no Brasil.

Ao opinar sobre casamento entre pessoas do mesmo sexo, Marina afirmou que união civil é diferente de casamento. Ela é favorável à união civil por garantir aos parceiros os mesmos direitos sobre os bens conquistados em conjunto, mas sobre a união no religioso ela não deixou dúvidas.
– Casamento para mim é um sacramento, e pelo meu princípio de fé, eu não defendo.

Marina, que é evangélica, defendeu o Estado laico, mas lembrou que “Estado laico não é Estado ateu” e que, por isso, é preciso respeitar “quem tem fé e quem não tem”.

Marina também disse que jamais fumou maconha ou tomou o Santo Daime. De alcoólico, ela só admite ter bebido um estimulante de apetite que contém álcool na fórmula:

– Só tomei Biotônico Fontoura.

Jornal Midiamax