Geral

Madrasta admite em júri ter ajudado a esquartejar crianças

Eliana Aparecida Antunes Rodrigues, de 36 anos, assumiu na tarde desta quarta-feira (15) durante julgamento no Fórum de Ribeirão Pires, no ABC, que ajudou a esquartejar seus dois enteados, de 12 e 13 anos, no dia 5 de setembro de 2008. Ela disse que o seu marido e pai dos meninos, o segurança João Alexandre […]

Arquivo Publicado em 15/12/2010, às 22h00

None

Eliana Aparecida Antunes Rodrigues, de 36 anos, assumiu na tarde desta quarta-feira (15) durante julgamento no Fórum de Ribeirão Pires, no ABC, que ajudou a esquartejar seus dois enteados, de 12 e 13 anos, no dia 5 de setembro de 2008.


Ela disse que o seu marido e pai dos meninos, o segurança João Alexandre Rodrigues, de 32 anos, ameaçou matar o filho dela de outro relacionamento caso ela não ajudasse. “Ele falou que se qualquer coisa desse errado, ele mataria o Thiago [filho dela]”, disse a suspeita.


Eliana contou que o marido utilizou sacolas plásticas para asfixiar os dois jovens e pediu que ela trouxesse lençóis e querosene. “Quando cheguei na cozinha, vi o João Vítor ao lado da geladeira e o Igor no chão. Levei [a querosene] para ele lá nos fundos da casa. Ele jogou querosene, riscou o fósforo e jogou nos meninos.”


“Os corpos carbonizaram, e ele me mandou pegar uma faca na cozinha. Ele me deu a faca e pediu para tirar os órgãos do menino, e jogar no balde. Depois eu não vi mais os órgãos dentro do balde, não sabia onde estavam.” Eliana contou que os pedaços dos corpos dos meninos foram colocados em cinco sacos plásticos. Dois foram deixados em ruas próximas, e três em frente à própria casa.


De acordo com o delegado que prestou depoimento antes dela como testemunha, as vísceras das crianças foram encontradas no sistema de esgoto da casa.

Jornal Midiamax