Geral

Lula chega no começo da noite a Buenos Aires para velório

Quatro dos oito presidentes sul-americanos que confirmaram presença no velório do ex-presidente da Argentina Néstor Kirchner já chegaram a Buenos Aires e se encontram no Salão dos Patriotas Latino-Americanos, ao lado da presidente Cristina Kirchner e sua família. Rafael Correa, do Equador; José Mujica, do Uruguai; Sebastián Piñera, do Chile, e Evo Morales, da Bolívia, […]

Arquivo Publicado em 28/10/2010, às 18h53

None

Quatro dos oito presidentes sul-americanos que confirmaram presença no velório do ex-presidente da Argentina Néstor Kirchner já chegaram a Buenos Aires e se encontram no Salão dos Patriotas Latino-Americanos, ao lado da presidente Cristina Kirchner e sua família.

Rafael Correa, do Equador; José Mujica, do Uruguai; Sebastián Piñera, do Chile, e Evo Morales, da Bolívia, chegaram à capital argentina de manhã e no começo da tarde. Os presidentes Luiz Inácio Lula da Silva, Hugo Chávez, da Venezuela, Juan Manuel Santos, da Colômbia, e Fernando Lugo, do Paraguai, estão sendo esperados por volta das 19h.

Uma ausência que está sendo notada no velório de Kirchner é a do vice-presidente da República, Julio Cobos, que também preside o Senado e o Congresso argentinos. Hoje (28) de manhã, Cobos comunicou-se com o chefe de Gabinete da Casa Rosada, Aníbal Fernandez, para informar que não comparecia ao velório e pediu que Fernandez apresentasse condolências à chefe do governo argentino.

Aliado de Cristina Kirchner no início do governo, em 2007, Cobos tornou-se adversário político da presidente quando, um ano depois, usou sua prerrogativa de senador para votar contra um projeto governista que aumentava impostos para o setor rural. Desde então, a relação entre os dois deteriorou-se. Em várias ocasiões, a presidente qualificou Cobos como “traidor”. A presença do vice-presidente no velório de Néstor Kirchner poderia provocar mal-estar no Salão dos Patriotas Sul-Americanos.

Outro adversário político de Cristina Kirchner que não se encontra no velório de Kirchner, mas havia confirmado presença, é Maurício Macri, prefeito de Buenos Aires. Líderes de partidos de oposição estiveram na Casa Rosada para apresentar condolências e já se retiraram. De acordo com alguns desses líderes, a presença deles no velório de Kirchner, junto com a presidente, ministros de Estado e governadores de várias províncias poderia mostrar ao povo argentino que está começando no país um novo tempo de conciliação politica.

Jornal Midiamax