Geral

Livro que narra escândalo que mandou Artuzi para a cadeia encalha nas bancas de Dourados

Obra conta como funcionava o esquema de corrupção que motivou a prisão em setembro passado das principais autoridades da cidade; exposição da história pela internet atrapalhou as vendas

Arquivo Publicado em 02/11/2010, às 18h18

None

Obra conta como funcionava o esquema de corrupção que motivou a prisão em setembro passado das principais autoridades da cidade; exposição da história pela internet atrapalhou as vendas

O livro “A Máfia do Paletó”, escrito pelo jornalista e ex-secretário Municipal de Governo de Dourados, passados mais de dois meses da deflagração da Operação Uragano, que mandou para a cadeia o prefeito, o vice, vereadores, secretários municipais e empresários, já não desperta mais tanto interesse dos leitores e encalha nas prateleiras das bancas de revistas da cidade.

Lançado no dia dez de setembro no Teatro Municipal, o livro exibe em cem páginas detalhou o esquema de corrupção que funcionava em Dourados envolvendo políticos, empresários e servidores públicos.

Na Banca Americana mais de trinta exemplares do livro está à espera de um comprador. O dono da banca que pediu para não ser identificado disse que nos primeiros dias depois do lançamento a procura foi muito grande. Ele disse que não gosta muito de se envolver em política, mas o livro de Passaia lhe garantiu um bom lucro.

Nas demais bancas de revistas da cidade a cena é a mesma. Um amontoado de livros para ser vendido ao preço de R$ 15,00. Em outra banca, o jornaleiro disse que o fato do arquivo digitalizado do livro estar disponível na internet fez com que os leitores preferissem fazer uma cópia sem custo.

Passaia narra no livro fatos inéditos sobre o esquema que funcionava em Dourados até o dia primeiro de setembro de 2010, dia em que a Polícia Federal prendeu 28 pessoas.

“A Máfia do Paletó” tem ainda o sugestivo subtítulo: “Operação Uragano. No Olho do Furacão. O dia em que a Polícia Federal desmascarou os donos do poder” e foi escrito pelo ex-secretário de Artuzi durante as investigações que culminaram nas prisões e na descoberta do maior escândalo de corrupção da história de Dourados.

“A Máfia de Paletó”, que foi lançado com um capítulo censurado detalha o esquema de corrupção montado em Dourados, as negociatas envolvendo prefeito, vice-prefeito, vereadores, funcionários públicos, empresários e assessores de políticos influentes.

O livro narra ainda como funcionava o esquema de corrupção em Dourados e conta detalhes do sistema criado por políticos e empresários para roubar o dinheiro público e para cometer tráfico de influência.

Já a versão completa do livro foi amplamente divulgada na internet no mesmo dia do lançamento e despertou a ira dos deputados federais, estaduais e senadores envolvidos no esquema de propinas.

Jornal Midiamax