Investida de Zeca a partidos pode não dar resultado

Pode terminar sem resultados concretos a investida do ex-governador Zeca do PT na próxima segunda-feira, dia 8, a partidos políticos que ele pretende ter como aliados em seu projeto de ascender ao governo de Mato Grosso do Sul pela terceira vez. Pelo menos é o que sinalizam os dirigentes das legendas que estão sendo chamados […]
| 05/03/2010
- 18:40
Investida de Zeca a partidos pode não dar resultado

Pode terminar sem resultados concretos a investida do ex-governador Zeca do PT na próxima segunda-feira, dia 8, a partidos políticos que ele pretende ter como aliados em seu projeto de ascender ao governo de Mato Grosso do Sul pela terceira vez. Pelo menos é o que sinalizam os dirigentes das legendas que estão sendo chamados para dialogar com os petistas.

Ontem, o presidente regional do PT, Marcus Garcia informou ao Midiamax que estão marcadas reuniões com dirigentes do PTB, PV e PSB. Contudo, apenas as duas primeiras confirmam que conversarão com os petistas, segunda-feira. O PSB ainda tenta reunir a executiva da sigla para o encontro.

O presidente regional do PTB Ivan Louzada, por exemplo, mencionou que não há hipótese de fechar parceria com os petistas na reunião. Ele conta que a legenda mantém a pré-candidatura do empresário Zelito Ribeiro ao governo do Estado. Aliás, Zelito é um dos nomes favoritos de Zeca para ser seu candidato a vice.

Louzada esclarece que o fato de Zeca oferecer a vaga de vice ao partido não significa que a sigla se aliará. “Eu já disse isso ao Marcus Garcia. Da mesma forma que eles [petistas] nos convidam para ser vice deles, nós do PTB também podemos convidá-los para ser vice no nosso projeto também”, mencionou, em tom de brincadeira, mas sinalizando que a aliança com os petistas não figura entre prioridades.

Conforme Louzada, embora nacionalmente o PTB esteja prestes a fechar aliança com o PSDB, a legenda ficará liberada nos Estado. “Estamos livres para escolher nosso caminho (…) Estamos recebendo Zeca do PT, mas podemos fazer o mesmo com o André Puccinelli ou com a Marisa Serrano”, diz.

A reunião com os petebistas está marcada para às 15 horas, na sede regional do PTB em Campo Grande. Mas, mesmo antes de ouvir os petistas, o petebista adianta que decisão mesmo, o PTB de Mato Grosso do Sul só tomará após as definições nacionais, ou seja, no início de abril.

Partido Verde

O presidente regional do PV, vereador Marcelo Bluma revela ter simpatia pela candidatura de Zeca do PT, mas afirma que uma aliança não dependeria apenas deste requisito. O PV está unido ao PTB e ao PC do B em um bloco que trabalha para construir a candidatura de Zelito ao governo do Estado.

Apesar disso, Bluma diz que não se furtará a conversar com quem quer que seja sobre as eleições, mesmo porque, para ele, a candidatura de Zelito ainda é não é segura. “Zelito é uma opção interessante. Mas precisa mostrar viabilidade e ainda não mostrou”, explica.

Bluma diz que às 14 horas irá ao escritório político de Zeca em Campo Grande para ouvir o que ele tem a dizer. “O que eu te digo é que temos simpatia por ele [Zeca]. Vamos ouvir o PT sobre a possibilidade de uma aliança com muita tranquilidade, mas só ao final da reunião é que vou saber se o entendimento é possível”, acredita.

PSB

Já o presidente regional do PSB Sérgio Assis diz que os petistas pediram audiência na segunda-feira, mas não há nada confirmado. “Ainda estou tentando contato com os membros da Executiva do partido. Tem gente que mora no interior”, explica.

Sérgio Assis já esteve com os petistas em 2006 quando foi candidato a vice-governador na chapa encabeçada por Delcídio do Amaral está disposto a ouvir Zeca, mas não garante que terá qualquer definição na reunião.

“Queremos dialogar com o PT, mas nossa prioridade é o projeto do PSB”, explica. Assis diz que o partido não tem pretensão de concorrer ao governo, mas se aliará ao candidato a governador que facilitar o projeto do PSB de eleger ao menos um deputado federal e dois estaduais.

“Nos aliaremos a quem oferecer chances iguais dos nossos candidatos a deputado competirem com outros”, completa.

Últimas notícias