Geral

Interdição da escadaria da 13 acelera obras em Corumbá

A passagem pela escadaria da rua 13 de Junho ligando as ruas Luiz Feitosa Rodrigues e Firmo de Matos está interditada a partir de hoje, 26 de janeiro. A ligação entre os dois lados só será restabelecida com a conclusão do Viaduto que Prefeitura constrói naquela localidade. O acesso está restrito aos moradores dos terrenos […]

Arquivo Publicado em 26/01/2010, às 13h05

None

A passagem pela escadaria da rua 13 de Junho ligando as ruas Luiz Feitosa Rodrigues e Firmo de Matos está interditada a partir de hoje, 26 de janeiro. A ligação entre os dois lados só será restabelecida com a conclusão do Viaduto que Prefeitura constrói naquela localidade. O acesso está restrito aos moradores dos terrenos localizados na área de depressão, exatamente onde ficarão as fundações do viaduto.

O subsecretário de Serviços Públicos, Sérgio Baruki, informou a este Diário que para os moradores não ficarem sem acesso às suas respectivas casas, duas pequenas escadas foram construídas – uma em cada lado. As escadinhas garantem apenas as ligações entre os imóveis e a rua. Não permitem o cruzamento de um lado para o outro. Doze famílias residem naquela área, em terrenos legalizados.

Baruki informou que o viaduto terá área para circulação de pedestres, o que permitirá cruzar a pé o trecho entre as ruas Luiz Feitosa Rodrigues e Firmo de Matos. Com a interdição, a partir desta terça-feira serão executados, com maior celeridade, os serviços de escavação das fundações do empreendimento. Máquinas já atuam no local da intervenção.

O viaduto da 13 teve início autorizado em 20 de outubro, pelo prefeito Ruiter Cunha de Oliveira. A obra conta com investimentos de R$ 2.679.271, sendo R$ 1.482.100 do Governo Federal, via Ministério das Cidades, conseguidos através de articulação do deputado estadual Paulo Duarte junto ao ministro do Planejamento, Paulo Bernardo. O restante dos recursos – R$ 1.197.171 – é proveniente da contrapartida do município.

A obra, além de embelezar a cidade, será responsável pela melhoria do sistema viário da região central, desafogando o tráfego da rua Dom Aquino, considerado o mais intenso de toda a área urbana do município, além de ser a principal via de acesso à fronteira com a Bolívia, garantindo maior acessibilidade e mobilidade urbana.

Serão 90 metros de extensão cruzando a depressão existente entre as ruas Firmo de Matos e Luiz Feitosa Rodrigues. O viaduto, construído à base de concreto pré-moldado, ainda terá 12 metros de largura, incluindo calçadas nos dois lados – de um metro e meio de cada lado para passagem de pedestre – e pista dupla para veículos. A execução é da empresa Azevedo & Anjos Ltda., vencedora do processo licitatório. A expectativa é de conclusão em 10 meses.

Jornal Midiamax