Geral

Índice de rejeição de Marina Silva não preocupa cúpula do PV

O coordenador da pré-campanha da senadora Marina Silva (PV-AC) à Presidência da República, vereador Alfredo Sirkis (PV-RJ), disse nesta segunda-feira que o fato de a senadora aparecer com o maior índice de rejeição entre os eleitores ouvidos pela pesquisa CNT/Sensus não preocupa o partido. Na pesquisa divulgada hoje, Marina aparece com 36,6% de rejeição, seguida […]

Arquivo Publicado em 01/02/2010, às 23h36

None

O coordenador da pré-campanha da senadora Marina Silva (PV-AC) à Presidência da República, vereador Alfredo Sirkis (PV-RJ), disse nesta segunda-feira que o fato de a senadora aparecer com o maior índice de rejeição entre os eleitores ouvidos pela pesquisa CNT/Sensus não preocupa o partido.

Na pesquisa divulgada hoje, Marina aparece com 36,6% de rejeição, seguida pelo deputado Ciro Gomes (PSB), com 30,3%. Outros 29,7% disseram que não votariam no pré-candidato do PSDB, o governador de São Paulo, José Serra. E 28,4% responderam que não queriam Dilma Rousseff (PT) como presidente.

Para Sirkis, o motivo que levaram maior parte dos eleitores a afirmarem que não votariam em Marina Silva é consequência de a senadora ainda não ter o mesmo espaço na mídia destinado aos candidatos que possuem maior número de intenções de voto. No caso, um governador do Estado mais rico do país, a ministra do presidente Lula Inácio Lula da Silva e um terceiro nome (Ciro Gomes), que já foi candidato a presidente.

“Essa rejeição se dá por conta de um desconhecimento sobre quem é a candidata Marina Silva. Não é uma rejeição de quem não a quer como governante. Se você calcular quantos dos eleitores ouvidos conhecem a Marina e, mesmo assim disseram que não votariam nela, vai ver que essa rejeição cai drasticamente”, disse Sirkis à Folha Online.

Abraçado nessa teoria, a cúpula PV vê com bons olhos os resultados da pesquisa. Além disso, o secretário de Relações Internacionais do partido, Marco Antonio Mroz, ressalta o fato de Marina Silva (PV) aparecer em terceiro lugar, com 9,5% (num cenário sem a concorrência de Ciro Gomes).

Segundo ele, o número é muito positivo para um início de pré-campanha, onde a candidata ainda é desconhecida por boa parte do eleitorado. “É um número muito bom. Bem próximo do que a gente espera alcançar até março, quando daremos início a campanha propriamente dita”, afirmou.

De acordo com Mroz e Sirkis, a meta é que, ao fim da pré-campanha, Marina Silva apareça com pelo menos 15% das intenções de voto, independentemente do cenário.

Entretanto, quando Ciro Gomes aparece entre os candidatos à Presidência, a missão da coordenadores da campanha de Marina fica um pouco mais difícil. Nesse cenário, segundo a pesquisa CNT/Sensus, Serra aparece com 33,2% das intenções de voto, seguido por Dilma, com 27,8%, e por Ciro, com 11,9%. Marina Silva aparece em quarto lugar, com apenas 6,8% das intenções de votos. Os indecisos, brancos e nulos somam 20,4%.

Jornal Midiamax