Geral

Incêndio atinge prédio da Oi na Bahia e afeta telefonia em 6 estados

Um incêndio atingiu o 2º andar do prédio central da operadora telefônica Oi, na teça-feira (20) em Salvador. O incidente compromete o serviço de comunicação – telefonia móvel e fixa e também internet – oferecido pela empresa em seis estados: Bahia, Alagoas, Sergipe, Pernambuco, Piauí e Maranhão. O incidente não deixou feridos, mas três bombeiros […]

Arquivo Publicado em 22/12/2010, às 11h31

None

Um incêndio atingiu o 2º andar do prédio central da operadora telefônica Oi, na teça-feira (20) em Salvador. O incidente compromete o serviço de comunicação – telefonia móvel e fixa e também internet – oferecido pela empresa em seis estados: Bahia, Alagoas, Sergipe, Pernambuco, Piauí e Maranhão.

O incidente não deixou feridos, mas três bombeiros passaram mal por terem inalado fumaça e foram levados a um hospital da região. O fogo teria começado por volta de 10h30. Não há informações sobre as causas do incêndio.

Serviços essenciais

O incêndio tirou do ar dois serviços essenciais, como o telefone 190 da Polícia Militar (PM) – que forneceu como alternativas quatro linhas de celulares (9996-1880, 9626-6896, 9626-8887 e 9629-4996) – e problema de conexão com a central de atendimento da Companhia de Eletricidade da Bahia (Coelba).

Comércio afetado

Com a pane nas comunicações, boa parte das lojas e shopping centers da Bahia e de Sergipe, lotados por conta das compras natalinas, perderam sistemas de recebimento de cartões de débito e crédito. Ainda foram afetadas as operações na rede bancária e nos caixas eletrônicos espalhados na capital baiana e região metropolitana de Salvador.

Em nota, a assessoria de imprensa da Oi confirmou a pane nos sistemas de telefonia móvel, fixo e de transmissão de dados. Informou ainda que o incidente gerou dificuldades nas chamadas para clientes de telefonia fixa em regiões de Alagoas e Sergipe, e de telefonia móvel em regiões de Pernambuco, Alagoas, Piauí e Maranhão.

Ainda segundo a empresa, todos os equipamentos foram desligados por medida de segurança e os reparos serão efetuados depois que o prédio foi liberado pelos bombeiros.

Jornal Midiamax