Geral

Horário de verão exige readaptação de hábitos de alimentação

Começa à meia-noite deste domingo o horário de verão, quando os moradores das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste do Brasil terão que adiantar os relógios em uma hora. De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, acordar uma hora mais cedo vai exigir uma certa adaptação do corpo humano. Por isso, […]

Arquivo Publicado em 16/10/2010, às 13h28

None

Começa à meia-noite deste domingo o horário de verão, quando os moradores das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste do Brasil terão que adiantar os relógios em uma hora.


De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, acordar uma hora mais cedo vai exigir uma certa adaptação do corpo humano. Por isso, o médico Jacob Faintuch, do Hospital das Clínicas de São Paulo, recomenda que o ideal é que as pessoas tentem manter uma boa qualidade do sono, evitando “situações estimulantes no final da tarde ou no início da noite”.


O médico também recomenda que as pessoas evitem consumir café ou chá preto, alimentar-se demais no jantar, dormir sem comer e praticar exercícios físicos muito extenuantes. “O ideal é praticar atividade física uma vez ao dia, no mínimo duas horas depois de acordar, e evitar a prática durante a noite”, disse o médico, por meio de nota.


Segundo o médico, o desequilíbrio no organismo ocorre nos cinco primeiros dias da mudança no relógio. O horário de verão foi instituído para reduzir o consumo de energia elétrica no horário de pico, ao final da tarde.


A Eletropaulo, empresa responsável pela distribuição de energia em 24 municípios da região metropolitana de São Paulo, incluindo a capital, prevê um benefício extra com o horário de verão. De acordo com a empresa, o consumo de energia será reduzido em 6%. Segundo Fernando Mirancos, diretor de operações da empresa, a redução também deve ocorrer dentro de casa. “Para o consumidor residencial, é possível economizar utilizando menos tempo a iluminação artificial. Com essa medida, pode ocorrer uma redução de até 5% no consumo mensal de energia”.

Jornal Midiamax