Geral

Guarda municipal é afastado depois de confusão no posto de saúde do Guanandi

O guarda municipal Miguel, envolvido em uma confusão no posto de saúde do bairro Guanandi na tarde desta quinta-feira (28), foi afastado imediatamente das atividades. De acordo com a assessoria de imprensa da prefeitura de Campo Grande, a Guarda Municipal abrirá sindicância para apurar o que ocorreu de fato entre o agente, pacientes e uma […]

Arquivo Publicado em 28/10/2010, às 20h10

None

O guarda municipal Miguel, envolvido em uma confusão no posto de saúde do bairro Guanandi na tarde desta quinta-feira (28), foi afastado imediatamente das atividades. De acordo com a assessoria de imprensa da prefeitura de Campo Grande, a Guarda Municipal abrirá sindicância para apurar o que ocorreu de fato entre o agente, pacientes e uma equipe de TV do programa Picarelli Com Você, da TV MS Record.


O afastamento foi necessário para preservar o andamento das investigações. Outro guarda municipal será deslocado ao posto de saúde. A sindicância não tem prazo para ser concluído.


A discussão começou porque pacientes descontentes com a demora no atendimento foram pedir informação ao guarda municipal, identificado como Miguel. Ele teria respondido com rispidez e tentado agredir alguns pacientes.


Depois disso, os moradores que aguardavam atendimento desde o início da manhã de hoje resolveram acionar a equipe de reportagem do programa Picarelli com Você.


Enquanto o repórter Avelino Neto e o cinegrafista Dalmo Júnior faziam imagens externas ao prédio do posto de saúde, outra equipe, da TV Guanandi, produzia outra reportagem, do lado dentro do prédio do posto.


Ao ver a equipe trabalhando do lado de dentro, Marize Helmich, 42 anos, foi até a recepção e teria perguntado ao guarda Miguel se a equipe não iria sair para também ouvir os que reclamavam da falta de atendimento. Neste momento, segundo ela, o guarda tentou agredi-la fisicamente. A mulher disse que ele foi contido por outro guarda municipal.


Posteriormente, segundo o repórter Avelino Neto, o guarda foi em direção à sua equipe, que permanecia na calçada, e disse que não podiam filmar a fachada. O repórter respondeu que estava do lado de fora e poderia, sim, executar seu trabalho. Nisso Miguel teria tentado agredi-lo fisicamente.


A assessoria de imprensa da Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) chegou a informar que não teria havido agressão, e que o guarda Miguel apenas teria contido os ânimos exaltados de pessoas que queriam ser atendidas. O posto de saúde do Guanandi realiza atendimentos de urgência e emergência, e segundo a Sesau, os reclamantes não tinham essa prioridade.

Jornal Midiamax